NOS KU NOS

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

«Outubro Rosa» de combate ao cancro mamário 18 Outubro 2017

Está a ser preocupante o facto de Cabo Verde registar por ano 780 casos de mortes causadas pelo cancro. Mas os da mama, da próstata e do colo do útero são os que mais afetam a população no país, revelou a Associação Cabo-Verdiana de Luta Contra o Cancro (ACLCC).

«Outubro Rosa» de combate ao cancro mamário

Estamos em ’Outubro Rosa’ que está a servir para estimular a participação da população no controlo do cancro da mama. A data é celebrada anualmente, com o objetivo de compartilhar informações sobre o cancro da mama, consciencializar para a doença, proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento e contribuir para a redução da mortalidade.

Conforme as autoridades nacionais, está a ser preocupante o facto de Cabo Verde registar por ano 780 casos de mortes causadas pelo cancro. Mas os da mama, da próstata e do colo do útero são os que mais afetam a população no país, revelou a Associação Cabo-Verdiana de Luta Contra o Cancro (ACLCC).

O anúncio foi feito à Inforpress por Cornélia Pereira, membro da ACLCC, à margem do torneio de basquetebol promovido pela instituição no âmbito do Dia Mundial do Cancro - celebrado no dia 04 - sob o tema “Nós Podemos, Eu Posso”.

Preocupada com a evolução da doença no país, a responsável afirmou que os números são assustadores e alarmantes, sendo que, a nível nacional, o cancro da mama, da próstata e do colo do útero tem causado por ano cerca de 600 a 780 mortes. Já a nível mundial diz que cerca de 8,8 milhões de pessoas morreram de cancro em 2015.

Segundo a mesma fonte que cita Cornélia Pereira, a iniciativa decorre sob o tema “Nós Podemos, Eu Posso”, e tem por finalidade divulgar a temática da doença, lançar o repto junto da comunidade juvenil para sensibilizar e dar mais informações aos jovens sobre essa patologia que não escolhe idade, sexo nem raça e tem aumentado em Cabo Verde.

“Dentro das nossas possibilidades, a ideia é chegar a todos os cantos do país através da realização das feiras de saúde, rastreios nas comunidades mais carenciadas”, avançou à Inforpress, frisando que apesar dos apoios, a ACLCC precisa ainda de muitas parceiras para levar adiante esta luta, que não é pequena e mata 780 pessoas por ano neste país.

Mais de 500 mil mortos em África

Segundo as últimas estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS), em África, 530 mil pessoas morreram de cancro em 2015, das quais 60.600 devido ao carcinoma do útero e 55.120 de cancro da mama.

Diz a OMS que os dados revelam que o facto de os tumores mais letais em África serem os que apenas afetam as mulheres, faz com que o número de mulheres falecidas por cancro (283.500) seja maior que o dos homens (246.700), o que só acontece nesta região. Em 2015 cerca de 8,8 milhões de pessoas em todo o mundo morreram de cancro.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau