POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

PAICV: “Arranque do ano lectivo no Sal se afigura a um caos” 27 Setembro 2017

O PAICV manifestou, esta terça-feira, 22, o seu total descontentamento com o arranque do ano lectivo na ilha do Sal, por considerar que houve falha na sua planificação. A deputada nacional Ana Paula Santos afirma que tanto a edilidade como o Ministério da Educação não conseguiram cumprir com as promessas e o que se verifica neste momento é uma “situação que se afigura a um caos”.

PAICV: “Arranque do ano lectivo no Sal se afigura a um caos”

“Apesar de publicitado em vários canais, tanto pela edilidade e como o Ministério da Educação, as planificações feitas e as garantias dadas não se verificam, tendo nesse momento uma situação que se afigura a um caos, pela insuficiência de sala dos alunos do quinto ano de escolaridade, falta de professores, sobretudo de língua inglesa e francesa”, denuncia Ana Paula Santos.

A deputada criticou também o facto de horários ainda não se encontrarem fixados desde a passada sexta-feira, 22, tendo já corridos uma semana de aulas. Por outro lado, avança que há “insuficiência de manuais escolares para compra e uma incerteza nas informações que são prestadas pelos responsáveis locais”.

Outro aspecto apontado por Santos reside no acesso dos alunos às escolas, cenário que, como diz, não foi preparado atempadamente e que causa grandes dificuldades tanto para os alunos, como para os pais.

“Porque não preparar conveniente e atempadamente as soluções disponíveis, expondo os alunos de 10 anos , a um percursos, onde veículos pesados e cargas circulam sem antes fazer devidas reparações na estrada para garantir segurança do acesso dos mesmos, obrigando os pais a assumirem despesas com transportes para minimizar os riscos a que as crianças estão expostas” lamentou.

Para concluir, a deputa alertou também o facto da escola de Pedra Lume, Ildo Lobo, continuar de portas fechadas há cerca de uma ano, apesar da Ministra da Educação ter garantido que a situação era provisória. “ O que nós pedimos neste momento é a igualdade de oportunidade para todos os alunos da ilha do Sal”, conclui Ana Paula Santos.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau