POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Parlamento: PAICV denuncia o abandono de Chã das Caldeiras pelo Governo 30 Mar�o 2017

O terceiro dia da sessão parlamentar deste mês trouxe algum protesto acerca da situação de abandono em que se vive a população de Chã das Caldeiras, na ilha do Fogo. É que a eleita nacional do PAICV, Eva Ortet, considera impossível dar o benefício de dúvidas e acreditar no actual Governo do MpD, quando o mesmo avança com medidas injustas, discriminatórias e reveladoras de uma profunda desconsideração para com as gentes do Fogo, particularmente as de Chã das Caldeiras.

Parlamento: PAICV denuncia o abandono de Chã das Caldeiras pelo Governo

O PAICV quer que o Governo estipule os prazos para o cumprimento das promessas feitas durante a campanha eleitoral e que defina metas de governação que possam dar continuidade aos projectos e situações de vulnerabilidade por que passa a população da Chã das Caldeiras.

“Durante a campanha eleitoral, o Primeiro-Ministro repetiu, inúmeras vezes, que Chã das Caldeiras seria a sua prioridade. Prometeu que estas gentes teriam uma voz activa na definição do seu futuro. Assumiu o compromisso de resolver todos os seus problemas, num curto espaço de tempo, e as pessoas acreditaram nessa ’conversa poética’, mas até este momento nada foi feito”, criticou a eleita tambarina durante a sessão desta quarta-feira da Assembleia Nacional.

Eva Ortet faz lembrar que os 293 agregados familiares de Chã das Caldeiras que recebiam cestas básicas, deixaram de recebê-las, sem que lhes fossem apresentadas ou criadas novas fontes de rendimento ou de trabalho capazes de os facultar uma vida digna. “As famílias já não têm ajuda nem para a água, nem para electricidade. A ajuda com despesas de gás foi também suspensa e a maioria dos estudantes está sem apoio de propinas”, precisa.

Outra inquietação desta deputada do PAICV pelo círculo eleitoral do Fogo, diz respeito à construção do novo assentamento dos deslocados da Chã. segundo ela, a mesma deveria beneficiar as famílias que continuam ainda em casas alugadas, mas há uma“indefinição tanto do ponto de vista do local da edificação do novo assentamento, como também no tocante ao número de beneficiários”.

“Foi suspensa a construção de quarenta e três quartos adicionais a acrescentar às casas reabilitadas de Monte Grande e Achada Furna, de forma a ajustá-las à dimensão dos agregados familiares. Aqui, a nossa preocupação é saber se o projecto avança ou se foi adiado. Não sabemos também se a requalificação da área envolvente das casas reabilitadas e o espaço verde vão avançar ou não”, assinala.

Para a Eva Ortet, o descaso não é apenas com a população de Chã das Caldeiras, mas também com a população de toda a ilha em geral. “ Há quase 3 meses que houve o desabamento de rochas sobre a única via de acesso de viaturas entre São Jorge e Campanas de Baixo, essa mesma via continua condicionada e periga a ligação entre os municípios de São Filipe e dos Mosteiros. Há quedas de pedras, de modo que a circular na passagem provisória representa um grande perigo para os condutores e peões. A população destas duas localidades está desde então sem água nas torneiras, porque o desabamento de rochas danificou também o sistema de abastecimento de água”, aponta.

Atendendo os factos referidos, Ortet diz estranhar o silêncio do MpD, dos poderes públicos e das instituições com responsabilidade nesta matéria. Por isso, exorta ao Governo no sentido de cumprir o programa de emergência para Chã das Caldeiras, que anunciou logo depois de ter tomado posse.

Governo promete cumprir as promessas

Entretanto, o primeiro-ministro de Cabo Verde assegura, em declaração à imprensa que Chã das Caldeiras na ilha do Fogo está na agenda do executivo. Ulisses Correia e Silva esclarece que o seu Governo está em fase de elaboração do plano de ordenamento para definir onde construir e a tipologia das edificações, de modo a garantir a qualidade da zona turística. Com isto, o governante acredita que há interesses políticos em fazer afirmações contrárias, mas apela para que todos estejam sintonizados com o plano de ordenamento de Chã referido.

Ainda na sessão parlamentar desta quarta-feira da AN, o ministro Fernando Elísio Freire reagiu às declarações da Eva Ortet, reafirmando que todos as promessas feitas pelo MpD durante a campanha para com a população de Chã das Caldeiras vão ser cumpridas, através de um programa harmonioso do desenvolvimento dessa aldeia, que fica ao sopé do vulcão activo do Fogo.

Celso Lobo

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau