POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

AN e situação de Seca: PAICV pede implementação imediata do Plano de Emergência contra o mau ano agrícola 24 Outubro 2017

A sessão de trabalhos na Casa Magna na tarde desta segunda-feira, 23, debruçou-se, na sequência de uma declaração política feita pelo MpD, na sua maioria sobre o mau ano agrícola, com destaque para o seu impacto negativo nos meios rurais e a implementação do Plano de Emergência anunciado pelo Governo. O PAICV denunciou que o Executivo está a andar a passos lentos quanto à execução do referido plano, que chegou um pouco tarde. Já o partido que suporta o Governo refuta a leitura da oposição e acusa os deputados desta formação de estarem a aproveitar o facto de Cabo Verde estar num momento de falta de chuva para tirar dividendos políticos.

AN e situação de Seca:  PAICV pede implementação imediata do Plano de Emergência contra o  mau ano agrícola

Foram várias as opiniões sobre o mau ano agrícola registadas durante os debates desta segunda-feira na Casa Parlamentar. De um lado esteve o PAICV, que contestou a demora por parte do Governo em executar o Plano de Emergência. Já o MpD mostrou-se convicto de que o trabalho está sendo bem feito - sublinha que vai a tempo de ajudar os agricultores a combater o ano obscuro relativamente às chuvas.

Um dos mais intervenientes na bancada parlamentar tambarina foi o deputado José Sanches, que questionou o Governo sobre como e quando será implementado esse plano de emergência, uma vez que chega tarde, já que há famílias a passarem dificuldades devido à falta de chuvas.

“Nós queremos ouvir do ministro da Agricultura em que consiste estes apoios e de que forma irá assegurar o rendimento das famílias no meio rural e por todo o país. Muito se fala neste plano, mas em termos concretos ainda nada se viu. Queremos que as coisas saiam do papel para a prática e é isso que as pessoas do meio rural querem ouvir. Todos queremos saber para quando, quem são os financiadores, como é que o Governo vai garantir que a distribuição do montante seja justa e equilibrada” argumentou José Sanches.

Por sua vez, o deputado do MpD Austelino Correia explicou que o plano de emergência apresentado pelo governo é sustentável, mas é necessário reconhecer que o país não tem recursos suficientes para tal. Por isso, defende que é necessário mobilizar recursos. Austelino refutou, no entanto, a ideia de que o Executivo está atrasado na implementação do plano e pediu o apoio de todos na resolução deste problema.

"O Governo está solidário com toda esta situação, mas também reconhece que o problema necessita de uma intervenção urgente. Garanto que é este trabalho que Executivo está a fazer, mobilizando todos os recursos necessários para que possamos combater esse mau ano agrícola e resolver o problema das famílias. No entanto, peço aos deputados do PAICV para não se aproveitarem dessa desgraça para tirar proveito político. É missão do Governo a implementação do plano de emergência, mas cabe a oposição apoiara medida e não vir aqui aproveitar-se desta situação para ganhar créditos junto do povo".

A sessão de trabalhos da AN arranca novamente nesta terça-feira, 24, onde será debatido (Ver este jornal) um dos assuntos que irá “sacudir” a plenária: o estado da justiça, cujo debate já começou alguns dias com a denúncia do advogado Amadeu Oliveira de existir «máfia» no sistema judicial cabo-verdiano.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau