INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Passa de 300 o número de mortos no pior ataque terrorista da Somália 18 Outubro 2017

Passa de 300 o número de mortos no pior ataque terrorista da Somália. Além disso, cerca de 400 pessoas ficaram feridas. Algumas delas têm queimaduras que as deixaram irreconhecíveis. Cerca de 70 pessoas estão desaparecidas, com base em relatos de parentes, de acordo com o policial Mohamed Hussein. O país da África Oriental está em guerra civil há mais de 20 anos.

Passa de 300 o número de mortos no pior ataque terrorista da Somália

Segundo informações da imprensa local retomadas por vários órgãos da comunicação social estrangeira, foram registados, nos últimos dias, dois ataques em sequência na capital da Somália. No mais mortal, um camião carregado de explosivos foi colocado em uma esquina movimentada do coração de Mogadíscio próximo a um camião de combustível, o que aumentou o poder de destruição.

Uma bola de fogo varreu quarteirões inteiros. A explosão atingiu hotéis, embaixadas, prédios do governo. Destruiu centenas de veículos. A segunda explosão foi em um mercado. O ataque deixou centenas de feridos, muitos deles com queimaduras gravíssimas.

Conforme descrevem as mesmas fontes, os hospitais ficaram lotados, sem remédios ou estrutura para atender a todos. Cerca de 70 feridos graves foram transportados de avião para Turquia. A ONU chamou o atentado de revoltante e disse que está ajudando o governo somali.

Nenhum grupo terrorista reivindicou o ataque, mas o governo da Somália acusa o Al-Shabab pelo atentado. O grupo terrorista ligado à Al-Qaeda briga para dominar o país, que vive em uma guerra civil desde a década de 1990.

O Al-Shabab já chegou a controlar o Centro e o Sul do país, mas foi expulso das principais cidades. Desde então vem fazendo ataques a civis e aumentando o tamanho e o poder de suas bombas.

O atual governo da Somália é reconhecido pela ONU e apoiado pelos Estados Unidos. No começo de 2017, americanos e somalis anunciaram que iam reforçar as ações militares contra os extremistas. Em resposta, o Al-Shabab anunciou que ia aumentar os ataques. Agora, os Estados Unidos classificaram o atentado como “covarde” e disseram que estão prontos para aumentar a ajuda militar à Somália.

Cerca de 70 pessoas seguem desaparecidas

Famílias angustiadas vasculham Mogadíscio, a capital da Somália, em busca de parentes desaparecidos após o ataque desta segunda, que foi um dos piores já cometidos no país. Autoridades disseram que tem as marcas do grupo Al Shabaab, ligado à Al Qaeda, mas este não assumiu a responsabilidade, refere a imprensa local.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau