CORREIO DAS ILHAS

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Porto Novo: Chuvas registadas insuficientes para as primeiras sementeiras mas camponeses mantêm-se ainda optimistas num bom ano agrícola 22 Agosto 2017

Os agricultores no Porto Novo, em Santo Antão, admitiram hoje,22, à Inforpress que as precipitações registadas, esta segunda-feira, em algumas zonas do concelho não permitem ainda as primeiras sementeiras, mas as esperanças num bom ano mantêm-se intactas.

Porto Novo: Chuvas registadas insuficientes para as primeiras sementeiras mas camponeses mantêm-se ainda optimistas num bom ano agrícola

Domingos Assunção, no Planalto Leste, avançou que os camponeses receberem com “alegria” as primeiras chuvas mas que não garantem ainda as sementeiras, entendendo, todavia, que “ainda vai a tempo de haver um bom ano”, já que o tempo continua a prometer.

“Ainda é cedo para estarmos a desanimar. Se chover bem até finais de Agosto, poderemos ter um bom ano”, perspectivou este agricultor, preocupado, porém, com a escassez de água para os animais no Planalto Leste.

No Planalto Norte, apenas em Bolona registou-se alguma chuva, mas também insuficiente para as primeiras sementeiras, segundo o dirigente comunitário, Fidel Neves, que informou que o resto desse planalto ainda não se registou qualquer precipitação.

Na Ribeira das Patas caiu, esta segunda-feira, alguma precipitação, sobretudo nas zonas altas, mas o presidente da associação local e, também, agricultor, Arlindo Delgado, informou que os camponeses vão ter de esperar ainda por mais chuvas para as começar a faina agrícola.

Os camponeses continuam a acreditar nos “sinais de bom tempo” e nas previsões meteorológicas de “boa chuva” este ano, renovando, assim, as esperanças num “bom ano ou, pelo menos, melhor do que 2016”.

“O tempo está a prometer chuva. Esperamos que chova ainda Agosto, para que o ano agrícola seja melhor do que 2016”, avançaram alguns agricultores, abordados pela Inforpress, lembrando que em 2016 só choveu em Setembro, com a produção do milho praticamente nula, neste concelho.

A situação foi compensada, entretanto, com uma razoável colheita de batata comum e de feijões.

Os camponeses no Porto Novo, o concelho mais árido da ilha de Santo Antão, onde as precipitações são muito aleatórias, têm sofrido com os sucessivos maus anos agrícolas, mas dizem “acreditar sempre em dias melhores”.

“Temos sempre que acreditar em melhores dias”, notou José da Luz, em Ribeira dos Bodes.

Enquanto isso, os serviços do Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA) prossegue com a campanha agrícola, privilegiando, nesta fase, contactos com os agricultores e criadores de gado para se conhecer as suas dificuldades, mas também as suas expectativas em relação ao ano agrícola.

Nesta fase, a maior preocupação do MAA prende-se com a prevenção e combate à praga de lagarta-de-cartucho-de-milho, que já ataca alguns vales deste concelho. Fonte: Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau