NOS KU NOS

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Porto Novo: Falha de energia eléctrica obriga a suspensão primeiro dia do festival de Curraletes 19 Agosto 2017

Uma falha de energia eléctrica, provocada por uma avaria num gerador, obrigou a câmara do Porto Novo a suspender a programação prevista para o primeiro dia do festival de música da praia de Curraletes, no Porto Novo.

Porto Novo: Falha de energia eléctrica obriga a suspensão primeiro dia do festival de Curraletes

O presidente da Câmara Municipal do Porto Novo, Aníbal Medina, subiu ao palco, já por volta das 02:00 de madrugada, muito vaiado pelo público presente, para pedir “compreensão” aos presentes, garantindo que as condições estão a ser criadas para que o certame, que vai na sua trigésima edição, comece hoje, com a programação prevista para este dia.

“Foi uma avaria num gerador eléctrico, uma situação que fugiu ao nosso controle, mas pedimos a compreensão do público presente e esperamos que o festival tenha início este sábado, com a programação inicialmente prevista”, sublinhou Aníbal Fonseca.

As pessoas presentes na praia de Curraletes reagiram mal ao facto de se ter suspendido o primeiro dia do espectáculo, tendo recebido o elenco camarário com vaias e assobios, demonstrando o seu desagrado pelo ocorrido.

Para algumas pessoas, abordadas pela imprensa no local, a falha de energia eléctrica demonstra que as condições não estavam criadas para a realização do festival, além de revelar “falta de interesse” do actual executivo na organização do evento que “vai ficar na história como o pior de todos os tempos”.

No primeiro dia do festival, deveriam actuar Janifer Solidad, os rapers Tivs e Nauk, os grupos músicas Nhô Ambrósio e Evolução, além dos artistas Didi Romântico, Anísio Rodrigues e Cay Lima.

Para este sábado estão agendadas as actuações do Tito Paris, Atim, Cordas do Sol, Kings, Ailine, Dulce e Dilvo, além do Flow Real e de Ilídio Cozinheiro.

O vereador da cultura da Câmara Municipal do Poro Novo, Nilson Santos, que coordena a organização do evento, havia garantido na quinta-feira que “todas as condições estavam criadas” para que o festival, que assinala o Dia do Município do Porto Novo (02 de Setembro) decorresse na normalidade.

Nilson Santos, no lançamento do festival, cujo orçamento anda à volta dos três mil contos, explicara naquela ocasião que a aposta da edilidade foi sempre nas festas de São João, santo padroeiro, que acontecem em Junho, e não neste festival, o segundo mais antigo de Cabo verde, a seguir à Baia das Gatas, em São Vicente. Fonte: Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau