CORREIO DAS ILHAS

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Porto Novo: Isolamento constitui maior desafio de Santo André que reivindica há 11 anos estatuto de município 30 Novembro 2017

O isolamento ainda de alguns povoados, na maioria com grandes potencialidades agrícolas, constitui o “maior desafio” da freguesia de Santo André, no Porto Novo, Santo Antão, que, há mais de uma década, reivindica o estatuto de município.

Porto Novo: Isolamento constitui maior desafio de Santo André que reivindica há 11 anos estatuto de município

Santo André, que celebra esta quinta-feira o dia do seu patrono, com actividades religiosas e culturais, acalenta, desde 2006, o “sonho de ser município”, estatuto que, segundo os moradores, podia “impulsionar” o desenvolvimento desta parcela do território municipal, com grandes potencialidades nos domínios da agricultura, pecuária e turismo.

A criação do município de Santo André é, efectivamente, um desejo da população que não desiste da ideia de ver esta freguesia, com 118 quilómetros de extensão e com cerca de 3.500 habitantes, elevada, um dia, à categoria de concelho, apesar da “complexidade” do processo.

Para já, o maior desafio que se coloca à freguesia de Santo André prende-se, segundo os habitantes, com o desencravamento de algumas comunidades ainda isoladas e com excelentes potencialidades agrícolas, como é o caso de Chã de Branquinho, Faial e Dominguinhas.

Humberto Lima, em Chã de Branquinho, entende que a falta de uma estrada constitui o maior entrave ao processo de desenvolvimento dessa localidade, que foi alvo, nos últimos anos, de “importantes” investimentos na mobilização de água, mas que continua a braços com o problema de escoamento dos produtos, por causa do isolamento.

André Monteiro, em Chã de Norte, lembra que a população desta freguesia tem estado, também, a defender a necessidade de se melhorar o acesso a esse vale agrícola, mas, igualmente, à Chã de Norte e ao Planalto Norte.

A câmara do Porto Novo garante que o Governo já financiou as obras de melhoramento da estrada para Martiene e a construção de uma ponte em Ribeira de Chã de Norte, com vista a melhorar a circulação de pessoas e bens entre esses povoados e o resto do município.

Dominguinhas e o Planalto Norte reclamam ainda energia eléctrica durante 24 horas por dia, uma reivindicação que, já nos primeiros meses de 2018, será atendida, no quadro dos projectos, já na fase de implementação, que visam levar luz eléctrica de forma continuada a esses povoados.

Também, já partir de Dezembro, Ribeira da Cruz, sede da freguesia de Santo André, terá um polidesportivo que servirá todos os jovens dessa freguesia, segundo a edilidade portonovense, que pretende ainda, com o apoio do Governo, retomar o programa de requalificação dessa povoação.

Além de excelentes condições para a criação de animais, sobretudo no Planalto Norte, Santo André possui ainda importantes vales agrícolas, com destaque para Martiene, Alto Mira, Ribeira da Cruz, Jorge Luís, Chã de Branquinho, Dominguinhas e Faial, zonas onde se tem registado “uma grande dinâmica no desenvolvimento da agricultura”.

São vales que, graças aos investimentos realizados, pelo Governo, na mobilização de água e à aposta dos lavradores nas novas tecnologias de rega, produzem uma grande diversidade de hortícolas, exportada, sobretudo, para a ilha de São Vicente.

Os produtores agrícolas de Chã de Branquinho, Faial e Dominguinhas têm estado, porém, a enfrentar dificuldades no escoamento dos produtos, devido à falta de estradas.

Está na fase de instalação, em Ribeira da Cruz, um centro de tratamento e embalagem dos produtos agrícolas, projecto a cargo da associação local dos agricultores, que conta com o financiamento do GEF (Fundo do Ambiente), projecto que vai agregar valores aos produtos e facilitar o acesso ao mercado dos excedentes provenientes de diferentes vales desta freguesia. Fonte: Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau