NOTÍCIAS

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Presidente da Câmara de São Vicente: Requalificação da Baía das Gatas vai ser mais-valia para o festival 15 Agosto 2017

O presidente da Câmara Municipal de São Vicente considerou hoje (14) que as obras previstas para a requalificação da praia da Baía das Gatas, num “investimento enorme”, constituirão uma “mais-valia” para o festival de música.

Presidente da Câmara de São Vicente: Requalificação da Baía das Gatas vai ser mais-valia para o festival

Em entrevista à Inforpres, no culminar da 33ª edição do festival, na madrugada de hoje, Augusto Neves, sublinhou que serão investidos, em 2018, “só na reabilitação da praia da Baía das Gatas e todo o espaço balnear envolvente” cerca de 150 mil contos.

“Eu tenho fé que os próximos festivais serão execelentes porque vai haver todo um trabalho de requalificação da Baía das Gatas, num investimento enorme com o Governo”, assinalou o autarca, que lembrou que está a trabalhar com o Governo para o Orçamento do Estado de 2018 contemplar a verba para o asfaltmento da estrada cidade-Baía das Gatas.

Com isso, nos próximos anos, proclamou o presidente da câmara de São Vicente, estarão criadas “todas as condições” para atrair mais turistas e emigrantes e demonstrar que “este grande festival” é um cartaz de “grande envergadura” para a economia sanvicentina e cabo-verdiana.

“Em 2018 espero ter conlcuído as obras de requalificação da praia da Baía das Gata, e, em relação ao asfaltamento da estrada cidade-baía, conto iniciar as obras ao longo do ano de 2018”, lançou Augusto Neves, que espera terminar o mandato com “tudo resatuarado” e em “plenas condições” para a atração turística.

O passo seguinte, confirmou, será uma “divulgação forte” do festival junto das agências turísticas mundiais, contando, para tal, ter resolvido “até o final do ano” aspectos pendentes relacionados com o Aeroporto Internacional Cesária Évora, integrado no pacote do Governo para “resolução de urgência”.

“O festival vai ganhar nos próximos anos porque estará melhor organizado e mais enriquecido”, precisou.

Sobre a edição 2017, cujo pano baixou na madrugada de hoje ao som do brasileiro Naldo Benny, Augusto Neves consideou que se tratou de mais um “bom festival”, que representou um “grande esforço” de todos, a começar pela população com um comportamento “exemplar e cívico”

“Fico satisfeito com o movimento de hiaces, de autocarros, a restauração a trabalhar, e é isso é que um dos objectivos do festival, ou seja, movimentar a economia sanvicentina”, ajuntou.

Neves concorda que ao longo dos três dias do festival houve artistas que conferiram “muita força e dignidade” ao certame, uma “população bonita, partcipativa o tempo todo” e que acompanhou os artistas até ao raiar do dia.

“Acho que isso dignifica a homenagem que fizemos à juventude mindelense, que tem paticipado e assegurado a ilha em momentos dificieis, e temos esperança de que, doravante, as coisas irão melhorar”, concluiu o presidente da Câmara Municipal de São Vicente.

O Festival Internacional de Música da Baía das Gatas teve a sua primeira edição no dia 18 de Agosto de 1984, é realizado anualmente na praia do mesmo nome, a oito quilómetros da cidade do Mindelo.

Desde àquela data apenas em 1995 não se realizou, devido a uma epidemia de cólera que assolou Cabo Verde.

Anualmente, a Câmara Municipal, que organiza o evento, reserva uma verba de 15 mil contos no orçamento municipal para fazer face às despesas com a logística, viagens e cachets de artistas, contando também com parceiros e patrocinadores que financiam a “maior parte do bolo”. Fonte: Inforpress

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau