ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Presidente da República alerta que Maio encerra desafios de enfrentar grandes problemas que preocupam as pessoas 23 Abril 2017

O Presidente da República defende que a ilha do Maio encerra um desafio tão importante qual seja o de enfrentar os grandes problemas que preocupam as pessoas, sem destruir a sua essência, sem quebrar o seu equilíbrio, sem macular o seu encanto. Jorge Carlos Fonseca fez esta advertência durante o encontro estratégico «Projectar o Futuro do Maio», que aconteceu, neste sábado,21, na cidade do Porto Inglês.

Presidente da República  alerta que Maio encerra desafios de enfrentar grandes problemas que preocupam as pessoas

Atentando a sua relativa pequenez e de existirem aspectos menos positivos em outros projectos turísticos, o Chefe do Estado de Cabo Verde considera que o Maio quase que assume a condição de ser um laboratório em algumas áreas. «Pode funcionar como Laboratório humano, laboratório vivo que necessita de um cuidado quase religioso para compatibilizar homem, ambiente, cultura, desenvolvimento», precisou.

Para Jorge Carlos Fonseca, projectar o Maio no futuro pressupõe a ousadia de todos os responsáveis locais reflectirem juntos sobre o lugar da Ilha no todo nacional, avaliando, com o rigor que a missão exige, o seu potencial e, seguidamente, valorando-o de maneira que a mesma venha a ter um papel muito mais preponderante no processo de desenvolvimento nacional. «Fazer isso obriga-nos a ir, literalmente, à procura de potencialidades, outras que o turismo sol e mar, adormecidas nas localidades e comunidades que compõem a Ilha e a transformar cada uma destas localidades em centros especializados de oferta distinta de bens e serviços indispensáveis para a melhoria da competitividade interna e da consequente atratividade turística da ilha».

Pequenas empresas e défice de infra-estruturas

O PR defende, por outro lado, que não se pode no processo de desenvolvimento do sector do turismo ignorar outras valências porquanto o futuro da Ilha, que passa também pelo desenvolvimento de micro e de pequenas empresas, nas diversas comunidades, em setores que Maio sempre ocupou lugar de destaque. « A produção do queijo e a criação de caprinos e ovinos de elevado «pedigree» bem como a produção do artesanato, para citar apenas alguns exemplos, serão, com uma outra valorização, impulsionadores do turismo e da economia da Ilha em geral», enumera o mais alto magistrado da nação cabo-verdiana.

Defende ainda o Chefe do Estado que pensar o futuro do Maio é debruçar sobre o défice de infra-estruturas de que padece esta ilha, com destaque para aquelas que se revelam indispensáveis para a vitalização da actividade económica. «Refiro-me, particularmente, a portos e a aeroportos, bem como a rede viária, necessários para o desenvolvimento económico local e do turismo doméstico e internacional em particular. Tais infra-estruturas são de primordial importância na eliminação do isolamento a que a Ilha vem sendo votada, como também na promoção das indústrias ligadas ao setor da pesca bem como das empresas do setor do comércio», sugere Jorge Carlos Fonseca, através da sua comunicação, feita neste fim-de-semana, na abertura do encontro estratégico «Pensar o futuro do Maio».

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau