ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Primeiro-ministro anuncia medidas para fazer crescer a economia do país 11 Janeiro 2017

Fazer a economia crescer de forma sustentável e com inclusão social são dois grandes desafios importantes que se colocam neste momento a Cabo Verde. O anúncio foi feito pelo Primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, durante a abertura da conferência “Doing Business 2017 em análise – Debate para crescer”, que decorreu esta terça-feira,10, na Capital.

Primeiro-ministro anuncia medidas para fazer crescer a economia do país

O Primeiro-ministro precisa que um dos desafios do seu governo é fazer a economia crescer de forma sustentada, a taxas suficientemente robustas para reduzir de forma substancial o desemprego. O outro vai no sentido de «fazer com que o crescimento económico seja inclusivo do ponto de vista da coesão social e da coesão territorial, ou seja, beneficiando as pessoas e as ilhas, para reduzir de forma substancial a pobreza».

Mas Ulisses Correia e Silva alerta que o contexto externo é cada vez mais desafiante, imprevisível e de mudanças rápidas e impactantes a nível global. Uma variável que, segundo ele, é conhecida há muito tempo, mas que tem a característica de ser viva, mutável, o que desafia a nossa capacidade de adaptação permanente perante riscos, ameaças e oportunidades.

Perspectivas e reformas

Referindo-se ao pais real, o primeiro-ministro considerou que as perspectivas para a economia cabo-verdiana são boas. Mas defendeu que elas só se concretizam com reformas profundas que consigam aumentar o seu potencial, sob pena de entrada em ciclos de reciclagem de dificuldades que se vão cristalizando. «Não é adoptando as mesmas atitudes e as mesmas políticas perante contextos que se alteram, que se atingem os objectivos. São necessárias reformas. E reformas que requerem estratégia, intencionalidade, consistência, boa gestão do tempo e compromissos, para mudar de forma estrutural o ambiente institucional, económico e social necessário para atingir os objectivos do desenvolvimento».

A pensar nisso, Correia e Silva disse que é necessário prosseguir as reformas para melhorar o ambiente de negócios no país . «O nosso propósito é tornar Cabo Verde um destino de investimentos que se distingue pela segurança jurídica, pela estabilidade e previsibilidade económica, fiscal e financeira e por serviços públicos eficientes e de excelência, com uma burocracia amiga do investimento e do empreendedorismo», desatou, citando algumas das propostas do actual Governo.

Fundamenta o primeiro-ministro que estas reformas são fundamentais para colocar Cabo Verde dentro de dez anos, no top 50 no Índice de Competitividade Global e no top 50 no Doing Business. « As nossas metas são também ambiciosas a nível da competitividade fiscal e da competitividade no turismo»

Mas para o PM, um dos ingredientes fundamentais para o êxito das reformas anunciadas é a atitude a se dotar no país. «É fundamental que toda a administração do Estado, incluindo as empresas de capitais públicos que atuam em sectores estratégicos da economia, compreenda e interiorize que a economia do país e, por consequência, os benefícios sociais que ela produz, só crescerá de forma sustentada com um ambiente favorável ao investimento privado, ao empreendedorismo, ao desenvolvimento das empresas, à inovação, à tomada de riscos por parte daqueles que investem», apelou Ulisses Correia e Silva, afirmando que a administração do Estado é fundamental para criar esse ambiente favorável de negócios em Cabo Verde.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau