ECONOMIA

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Ministro Olavo Correia e Programa CV7: Um compromisso para servir o futuro 11 Outubro 2017

O Ministro das Finanças de Cabo Verde reafirma estar empenhado na remoção de todas as barreiras que impeçam, hoje, o acesso ao financiamento por parte de empresas cabo-verdianas portadoras de sucesso e bem governadas. Neste sentido, Olavo Correia garante que o Governo está a trabalhar para, no quadro do Orçamento de Estado para 2018, apresentar de forma definitiva um ecossistema para financiamento à economia.

Ministro Olavo Correia e Programa CV7: Um compromisso para servir o futuro

O Ministro avança que, para isso, o Governo tem um Programa ao qual designa Cabo Verde 7 (CV7) “para servir o futuro”. Este programa que, conforme explica, “vem trazer um contributo decisivo para colocar Cabo Verde a crescer a 7%, no curto prazo, podendo gerar, numa legislatura, 45.000 postos de trabalho”.

Olavo Correia aponta que o Programa CV7 comporta sete pilares e passa a enumera-los:

  1. 1 –no funcionamento efetivo da Pro-capital, enquanto ‘venture capital’, aportando capital de risco para iniciativas portadoras de sucesso;
  1. 2 - no estabelecimento de linhas de financiamento bonificadas e ou garantidas, em parceria com as instituições bancárias, para as instituições de microfinanças, visando a promoção do emprego, a formalização da economia e a inclusão financeira;
  1. 3 - na criação de linhas de crédito bonificadas e ou garantidas no montante até 5.000.000 de contos para as micro, pequenas e médias empresas nos sectores do comércio, indústria, restauração, agroindústria, turismo, tecnologias de informação e comunicação, pescas, transportes, etc;
  1. 4 - no desenvolvimento de programas de empreendedorismo, micro empreendedorismo jovem e incubação de empresas;
  1. 5 - na criação de um Fundo Soberano de Garantia ao Investimento privado para a promoção do acesso ao financiamento, no mercado de capitais, por parte de grandes empresas;
  1. 6 - no suporte político do Governo permitindo o acesso das empresas cabo-verdianas ao financiamento junto de instituições financeiras regionais e internacionais;
  1. e 7 - no desenvolvimento de programas tendentes à promoção da boa governança empresarial pública e privada, assim como de um ambiente pró-empresas quer na sociedade como na própria administração pública”.

Olavo Correia diz estar confiante que só assim Cabo Verde vai crescer, atingir as metas estabelecidas, empoderando o sector empresarial endógeno, financiando a economia nacional.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau