ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Quinto hotel do grupo RIU Cabo Verde nasce em 2017: “Viemos para ficar” 29 Novembro 2016

Onze anos depois da inauguração do primeiro empreendimento hoteleiro em Cabo Verde, o grupo RIU anuncia a construção de um quinto hotel no pais, na ilha da Boa Vista, a partir já do próximo ano, orçado em 80 milhões de euros. Além disso, investiu cerca de 37 milhões de euros na remodelação dos seus resorts na ilha do Sal. Com esta investida o grupo quer provar que veio para ficar porque acredita em Cabo Verde como destino turístico.

Por: Susana Rendall Rocha

Quinto hotel do grupo  RIU Cabo Verde nasce em 2017: “Viemos para ficar”

A estabilidade governativa, as condições climáticas favoráveis e a morabeza do povo cabo-verdiano são os três factores que ditaram a aposta do grupo RIU no mercado turístico de Cabo Verde. A afirmação é de Yeray Zurita, director do Riu Palace Cabo Verde.

A reforma do Riu Palace Cabo Verde e do Club Hotel Riu Funaná, na ilha do Sal, obrigaram o grupo a um esforço financeiro de 37 mil euros, o equivalente a quatro mil milhões de escudos. No inicio desta semana, a comunicação social cabo-verdiana foram convidados a testemunhar in loco as inovações.

Mais bares, restaurantes gourmet construidos de raiz, mais infraestruturas de lazer, piscinas climatizadas, ampliação do espaço infantil, um spa completamente renovado que inclui banhos turcos, serviço de massagens, jacuzzi, todos criados para atrair um público mais selecto e exigente.

“O sector turistico está cada vez mais competitivo e os turistas mais exigentes. O nosso objectivo é sempre ultrapassar as expectativas dos nossos clientes porque nós viemos para ficar”, reforça Yeray Zurita, um natural das ilhas Canárias que há sete anos escolheu Cabo Verde para ser a sua segunda casa.

“É com orgulho que vejo as relações entre as ilhas de Cabo Verde e as Ilhas Canárias mais próximas a cada dia que passa. Existem muitas semelhanças entre os dois destinos turisticos e a nossa intenção é sempre utilizar a nossa experiência nas Canárias, ou seja, ter presente os erros cometidos e os acertos para melhorar cada vez mais o destino turístico de Cabo Verde”, assegura.

Na ilha da Boa Vista, o hotel Riu Touareg foi ampliado e possui agora mais 300 quartos, totalizando mil e cem quartos, além de outros “mimos” construidos de raiz especialmente para os seus hóspedes como uma infinity pool. O investimento feito ronda os 8 milhões de euros. Actualmente o grupo dispõe de quase 3 mil, somando os hotéis do Sal e da Boa Vista.

Aos quatro hotéis já existentes - O Touareg e o Karamboa, na Boa Vista, o Palace Cabo Verde e o Club Funaná, na ilha do Sal -, juntar-se-á em 2017 o quinto hotel do grupo no arquipélago: o Riu Palace, na Boa Vista. Segundo o director do Riu Palace Cabo Verde, cerca de 80 milhões de euros serão empenhados na sua construção.

Hotel Riu Palace Cabo Verde e Club Hotel Riu Funaná

O Hotel Riu Funaná foi, sem dúvida, aquele que passsou por uma mudança mais profunda, ao subir de categoria e tornar-se no Hotel Riu Palace Cabo Verde. As zonas exteriores receberam centenas de palmeiras de criação própria. Os seus 500 quartos e suites foram totalmente reformados e o hotel passou a contar com três restaurantes temáticos e um buffet. Além do restaurante italiano, ‘Sofia’ e do steakhouse, o empreedimento hoteleiro agora tem o ‘Krystal’, um restaurante que oferece um menu de cozinha de fusão e exclusivo dos hóteis Riu Palace.

Além disso, o hotel possui um total de seis bares onde é possivel apreciar aperitivos a qualquer hora do dia, localizados em diferentes pontos para usufruto de ambientes diversos, com destaque para a nova pastelaria, café e geladaria “Capuchino”.

O Club Hotel Riu Funaná, antigo Riu Garopa, é outro empreendimento que sofreu várias remodelações. Após a reforma que sofreu apresenta um novo estilo e novos serviços. Os 572 quartos foram redecorados e mobilados e equipados com televisores de 42 polegadas.

Ao restaurante asiático ‘Mandalay’ e ao ‘Manbana’, especialmente voltados para a cozinha tipica cabo-verdiana, juntou-se o restaurante gourmet ‘Kulinarium’.

Os espaços comuns também foram remodelados. Para os mais pequenos o Riu disponibiliza uma nova piscina infantil e uma variedade de jogos aquáticos. É ainda nesta área que encontramos o recém-criado Sports Bar, dedicado aos amantes do desporto e o bar de teatro.

Para esta remodelação, como parte do plano da cadeia para modernizar todos os seus hotéis, o RIU investiu cerca de 4 mil milhões de escudos cabo-verdianos.

Aposta nos quadros cabo-verdianos

Carlos Almeida, director dos Recursos Humanos do grupo Riu Cabo Verde, garante que “todas as chefias intermédias dos hotéis RIU são preenchidas por quadros nacionais”.

Quase dois mil cabo-verdianos estão empregados nos Hotéis Riu Cabo Verde e a remuneração mais baixa é duas vezes e meia superior ao salário minimo nacional. Com a reforma dos hóteis no Sal e na Boa Vista tornou-se necessário empregar aproximadamente mais duas centenas de pessoas.

Almeida não tem dúvidas de que o segredo do sucesso do empreendimento turistico está na aposta na formação constante e diária dos seus colaboradores.

O responsável dos recursos humanos também sublinha que o retorno anual para os cofres do Estado é de cerca de 70 milhões de euros.

Responsabilidade social e ambiental

Com a remodelação dos dois resorts, Riu Garoupa e Riu Funaná, o grupo foi obrigado a fechar as portas durante quase 4 meses e a enviar os seus quase 700 funcionários de férias, pelo menos durante metade desse tempo.

Além do descanso, os colaboradores foram presenteados com todo o mobiliário dos hotéis. Mesas, cadeiras, camas, colchões, secretárias, enfim, todo o recheio dos 1072 quartos mais os móveis dos lobbys, recepção e restaurantes. A doação também beneficiou o Hospital do Sal, a Cadeia Civil, o Jardim infantil Paroquial, o Centro de Estágio desportivo do clube Académico do Aeroporto e o Centro Comunitário de Chã de Matias.

A consciencia ambiental do grupo Riu também ditou mudanças significativas na forma de operar dos seus hóteis. O sistema de abastecimento das quatro piscinas que servem os clientes dos resorts na ilha do Sal foi alterado. Assim, a água doce foi substituída por água salgada, a qual passa por um tratamento que diminui o uso de produtos quimicos e poluentes.

“O processo utilizado é denominado de cloração salineira, que transforma o sódio existente na água salgada em cloro e assim, elimina-se o uso de produtos quimicos agressivos para o ambiente”. Com esta alteração conseguimos uma significativa poupança de energia elétrica e de água doce, num país onde estes recursos são escassos”, ressalva Daniele Rossini, director do Club Hotel Riu Funaná.

Além disso, os vários hectares de jardins verdejantes que emolduram os hóteis são regados com a água utilizada pelos hóspedes após um tratamento específico. “Enviamos à empresa APP toda a água fornecida ao hotel para que seja reciclada e posteriormente reutilizada para irrigação”.

Ademais, a iluminação de todos os hóteis obedece ao sistema LED, que é de baixo consumo, e a canalização é renovada frequentemente, evitando perdas. Foi ainda instalado um compactador para a gestão e reciclagem de recipientes de plástico, designadamente garrafas de refrigerantes e de água.

RIU em números

Tem mais de 100 hotéis em todo o mundo
Taxa de ocupação actual 90%
Impostos pagos anualmente 70 milhões de euros
Número total de colaboradores 1.940

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau