LUSOFONIA

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

REALIZADOR DE PROGRAMA São Tomé e Principe: ADIOFÓNICO ENCERRADO ACUSA GOVERNO DE PRESSÕES 21 Agosto 2017

O realizador Waldiner Boa Morte e apresentador do `Resenha da Semana´, programa de maior audiência da emissora católica são-tomense (Rádio Jubilar), acusou hoje o governo de ter feito várias pressões, obrigando-o a suspender o seu programa.

REALIZADOR DE PROGRAMA São Tomé e Principe: ADIOFÓNICO ENCERRADO ACUSA GOVERNO DE PRESSÕES

O realizador Waldiner Boa Morte e apresentador do `Resenha da Semana´, programa de maior audiência da emissora católica são-tomense (Rádio Jubilar), acusou hoje o governo de ter feito várias pressões, obrigando-o a suspender o seu programa.

«Já não me sinto motivado para continuar a fazer o programa, tendo em conta um conjunto de situações e muita pressão. Sabemos que este programa não agradava o governo que desde há muito tempo tem pressionado sobretudo a igreja católica» para o fechar, disse o jornalista Waldiner Boa Morte.

A Radio Jubilar é uma emissora privada de caráter generalista e é a primeira das três rádios privadas do país, além outras três rádios comunitárias espalhadas pelos distritos de Lembá e Lobata em norte e Caué no sul.

Com uma grelha de programas religiosos, a Radio Jubilar tinha no `Resenha da Semana´ um programa de debate, aos sábados, sobre os principais temas que ocorrem durante os dias anteriores.

«Segundo relatos de pessoas próximas do executivo, o programa era visto como um programa que só criticava o governo e já houve várias tentativas para o suspender», explica o produtor e realizador.

Waldiner Boa Morte conta que a mais recente dessas «tentativas» ocorreu há cerca de dois meses, ocasião em que a radio dedicou uma edição para analisar a polémica lei de criação do Tribunal Constitucional.

«Tendo em conta os rumores que corriam de que o governo tencionava fechar a rádio pedi e fui recebido em audiência pelo senhor primeiro-ministro. Tentei fazê-lo entender que o objetivo do programa é simplesmente analisar os temas da semana sobre assuntos que têm a ver com o nosso quotidiano», explicou.

«O senhor primeiro-ministro confirmou que não tinha nenhuma pretensão de fechar a rádio mas que não se revia nos comentários e análises que se fazia no programa», acrescentou.

Depois desse encontro o programa Resenha da Semana continuou a ser transmitido, até que esta sexta-feira, ocasião em que a Rádio Jubilar anunciou uma edição especial com Peter Lopes, um membro do ex-batalhão 33 do exército sul-africano, denominado `Batalhão Búfalo´.

Peter Lopes foi um dos mais ativos autores do golpe de estado de 2003 em São Tomé que depôs o governo da ex-primeira ministra, Maria das Neves enquanto Fradique de Menezes, Presidente da República de então se encontrava na Nigéria em visita de trabalho.

Na quarta-feira, Peter Lopes postou um vídeo no Facebook onde acusava Patrice Trovoada de ser «o financiador de golpe de estado de 2003», dizendo ao primeiro-ministro são-tomense para «não esquecer» que «mandou assassinar» na altura três personalidades do país: os ex-presidentes Manuel Pinto da Costa e Fradique de Menezes e o antigo ministro da Defesa e Ordem Interna, Óscar Sousa.

O vídeo rapidamente tornou-se viral e dois outros membros do referido Batalhão Búfalo, designadamente Arlécio Costa e Salvador Barreto, hoje deputados do partido Ação Democrática Independente (ADI, no poder em São Tomé e Príncipe), desmentiram Peter Lopes na rádio e televisão publica do país.

Arlécio Costa, tido como comandante dos 12 membros são-tomenses do Batalhão 33 confirmou, em declarações aos órgãos estatais de comunicação social que o golpe de estado tinha um financiador, mas que «não se encontra no país, está bem longe de são Tomé».

Na sexta-feira, Patrice Trovoada reagiu também alegando que às declarações de Peter Lopes, considerando-as «uma mentira, uma difamação» e que apresentado uma queixa-crime no Ministério Publico são-tomense e outra no tribunal da África do Sul onde supostamente o autor do vídeo continua a residir.

O realizador do programa diz ter recebido «orientações da direção no sentido de cancelar essa edição» do programa que deveria ser transmitido terça-feira.

«Reuni com o bispo da diocese que é o nosso patrono, pudemos conversar, fiz-lhe saber que o programa não tem nada contra o governo», mas «dei por findo o programa, tendo em conta que já não existem condições objetivas para que eu possa continuar a fazê-lo», explicou.

Na tarde de sexta-feira Waldiner Boa Morte comunicou aos ouvintes na sua página de Facebook o fim do programa `Resenha da Semana´ que durou cinco anos e transmitido todos os sábados.

A Agência Lusa tentou obter uma comentário sobre este caso junto do ministro que tutela a Comunicação Social mas, até ao momento e apesar de todos os contactos feitos, não foi possível. Fontes Lusa c/ A Bola ÁFrica

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau