INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Relações Cuba- EUA: Washington pondera fechar embaixada em Havana, após 60% do pessoal adoecer com “ataques acústicos” 01 Outubro 2017

A estranha doença, com sintomas de dores de cabeça/tonturas, náuseas e zumbidos, atingiu 60 por cento do pessoal da embaixada dos Estados Unidos em Cuba. Os primeiros casos terão surgido em dezembro do ano passado, mas só agora o departamento de Estado tomou o que se considera uma decisão sensível que periga as recentes relações entre os Estados Unidos e Cuba.

Relações Cuba- EUA: Washington pondera fechar  embaixada em Havana, após 60% do pessoal adoecer com “ataques acústicos”

O Secretário de Estado, Max Tillerson, anunciou esta sexta-feira, 29, que 21 funcionários da representação diplomática tinham sido chamados a Washington na sequência da misteriosa doença.

Os “ataques” visando a saúde do pessoal da embaixada tiveram lugar nas residências diplomáticas, e ainda em “hotéis frequentados por cidadãos americanos”, referiu Rex Tillerson ao explicar, na segunda-feira, que o pessoal “não essencial e todos os familiares do pessoal serão repatriados”.

“Enquanto o governo cubano não puder garantir a segurança dos nossos diplomatas em Cuba, a nossa embaixada ficará limitada ao pessoal indispensável, a fim de minimizar o número de diplomatas atingidos”.

Desde logo, na segunda-feira, 25, o departamento de Estado mandou suspender ’sine die’ a emissão de vistos americanos. Também os turistas americanos são aconselhados a evitar Cuba, destino turístico muito procurado desde a abertura de há dois anos. As viagens oficiais serão limitadas às necessidades do inquérito em curso.

Relações Cuba- EUA “estão a ser sabotadas”

Foi em agosto de 2015 que foi inaugurada a embaixada dos Estados Unidos em Cuba (foto). Dois anos depois, este grande incidente intriga Ben Rhodes, um dos construtores do novo entendimento entre os dois “inimigos”, que foi tido como um marco histórico.

Ben Rhodes, assessor de segurança do presidente Obama, esteve no coração das negociações para o restabelecimento das Relações Cuba- EUA.

“O objetivo de quem quer que esteja por trás dos ataques parece ser sabotar as Relações Cuba- EUA. Seria lamentável se tivessem êxito. O povo cubano seria o mais atingido”.

Fontes: Washington Post, CBS News, Le Monde

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau