ECONOMIA

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Relatório do BCV aponta crescimento de 1 a 3% 10 Dezembro 2014

O Banco de Cabo Verde prevê um crescimento económico entre um e dois por cento em 2014 e de três por cento para 2015, contrariando as previsões do Fundo Monetário Internacional. Estes novos dados, que constam do Relatório da Política Monetária do BCV, mostram uma aproximação às previsões do Governo que, contra tudo e todos, teima em fixar um crescimento na ordem dos três por cento.

Relatório do BCV aponta crescimento de 1 a 3%

O documento começa por dizer que a procura interna aumentou nos últimos seis meses, suportada por investimentos empresariais públicos e privados externos, que compensaram os gastos do Governo e as fragilidades do sector privado nacional. Refere igualmente que a melhoria do enquadramento externo da economia favoreceu a procurar de bens transacionáveis produzidos internamente, as remessas dos emigrantes e a recuperação do Investimento Directo Estrangeiro (IDE).

A procura externa líquida evoluiu em sentido contrário para sustentar a maior procura interna e como reflexo de um comportamento menos favorável pela busca de serviços de turismo, lê-se no documento, que mostra ainda a evolução dos indicadores de conjuntura do Instituto Nacional de Estatística sugerem que a actividade económica continua condicionada pela pelas dificuldades financeiras e excesso de burocracia.

O relatório indica que as pressões inflacionistas, numa conjuntura de redução da inflação importada e num contexto de crescimento da economia abaixo do potencial, estiveram contidas ao longo do ano, efectivando a partir de Setembro um cenário de deflação, reflectindo a evolução da procura interna, o desequilíbrio externo estrutural da economia cabo‐verdiana agravou ‐se nos primeiros nove meses do ano.

As reservas externas do país mantiveram‐se num nível adequado à sustentabilidade do regime cambial em vigor e à estabilidade macroeconómica e financeira. Esta situação, aliada a baixa da inflação, permitiram ao Banco de Cabo Verde reforçar as medidas de estímulo à economia, não só através da redução das suas taxas de juro, como também através da adopção de medidas de gestão de liquidez visando o fortalecimento do mecanismo de transmissão da política monetária.

Nos próximos meses, o BCV prevê que a política monetária deverá manter a mesma orientação para estimular a viabilidade de projectos de investimento produtivos, sem descurar a abordagem prudente necessária para garantir a preservação das reservas externas em níveis adequados ao risco do país e à estabilidade macroeconómica e financeira. Perspectiva-se um fortalecimento da dinâmica de crescimento económico entre um e dois por cento em 2014 e de três por cento para 2015.

Estas projecções estarão no entanto condicionadas pela estagnação da economia da área do euro, pela continua deterioração da confiança dos agentes económicos nacionais e por uma eventual degradação das contas públicas, além da contínua propagação do vírus do ébola nesta região, que poderá reflectir a procura turística.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau