ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Reuters destaca “a grande luta de Cabo Verde contra gangues de droga” 06 Dezembro 2015

A agência de notícias britânica Reuters apontou esta semana a luta de Cabo Verde contra o narcotráfico internacional como um modelo para a região africana. Segundo a Reuters, Cabo Verde destaca-se tanto pela estabilidade na África Ocidental como pela sua firme acção contra as redes de tráfico de cocaína

Reuters destaca “a grande luta de Cabo Verde contra gangues de droga”

"Quando a polícia de Cabo Verde desmantelou uma rede de narcotráfico que se preparava para contrabandear dezenas de milhões de dólares de cocaína para a Europa em 2011, a operação foi saudada como uma rara vitória contra o crime internacional por um dos mais pequenos Estados de África”, é assim que começa a reportagem da Reuters, lembrando que esta era o culminar de uma operação de combate iniciado dois anos antes pelas autoridades cabo-verdianas e que já resultara em condenações e apreensões de dinheiro e imobiliário. No entanto, depois disso altos funcionários começaram a receber ameaças.

Segundo a Reuters, tanto o homicídio da mãe da investigadora da Polícia Judiciária, Kátia Tavares, como o atentado contra o filho do primeiro-ministro, José Maria Neves, estão relacionados com a luta contra o tráfico de drogas e que serviram como contra-ataques à determinação deste pequeno país em reprimir poderosas quadrilhas de traficantes. Por causa disso, Cabo Verde, “constituído por um conjunto de 10 ilhas vulcânicas situado a 350 milhas (570 km) do Senegal”, destaca-se tanto pela sua relativa estabilidade na África Ocidental como pela sua acção firme contra as redes que traficam cocaína da América Latina para a Europa.”

A agência de notícias britânica cita ainda fontes entre funcionários europeus e norte-americanos na área do combate ao tráfico internacional, que enaltecem os esforços do país, apontado como um modelo para a região. "Eles ultrapassam de longe os do continente", disse uma dessas fontes à Reuters.

Mas a Reuters lembra que a investida de traficantes tem a ver com a posição geoestratégica de Cabo Verde – fica na encruzilhada entre África, Europa e América –, o que torna o arquipélago apetecível para os traficantes. “Na década de 1990 Cabo Verde tornou-se um hub (corredor) para o tráfego de narcóticos de rápido crescimento, ecoando a sua importância histórica como um entreposto transatlântico” tanto para o “comércio de escravos” como para a navegação oceânica e aviação comercial. As suas costas irregulares e a zona marítima de 300.000 milhas quadradas (sic) assemelham-se a um paraíso para os contrabandistas”.

Diz ainda a agência noticiosa que as fragilidades nas leis e no controlo permitem a entrada de dinheiro para ser lavado no negócio da imobiliária e na construção civil, suportado pela expansão do turismo – apontados como factores que contribuem para a expansão do tráfico no país. Entretanto, observa que na última década, Cabo Verde transformou a sua Polícia Judiciária, que se tornou numa das mais fortes equipas de combate ao crime organizado na África Ocidental.

Também reforçou as leis contra a lavagem de capitais em 2002, que foram melhoradas em 2009 e estão a ser de novo apertadas. No entanto, apesar de ter ganho algumas batalhas, segundo a Reuters, a PJ está longe de superar a guerra contra os traficantes. “Cabo Verde tem cinco barcos de patrulha, dos quais apenas um pode operar fora das águas costeiras, e o seu único avião de vigilância está fora de acção há anos. Poucos acreditam que o fluxo de narcóticos tenha sido seriamente reduzido”.

Leia mais sobre esta reportagem aqui: http://www.reuters.com/article/us-capeverde-drugtrafficking-idUSKBN0TJ0YP20151130#RIjcvwxjtpIOftG8.97

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau