ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Ribeira Grande de Santo Antão: A má sina dos agricultores de Losnã 22 Maio 2016

Os moradores da localidade de Losnã, a mais encravada do Vale de Ribeira da Torre, na ilha de Santo Antão, estão preocupados com a insegurança que há muito tempo enfrentam, devido à queda de um muro no único caminho vicinal de acesso e às avarias do maior sistema de bombagem de água para altitude da ilha, sediado na zona. Alertam a quem de direito para tomar medidas urgentes antes que seja tarde, porque, além dos riscos mortais para as pessoas, o sector agrícola de regadio, base de sobrevivência dos residentes, está em dificuldades.

Ribeira Grande de Santo Antão: A má sina dos agricultores de Losnã

Os problemas identificados nessa zona são muitos. De entre eles, destacam-se dois, que estão a afectar a sobrevivência das gentes da zona de Losnã, nos últimos tempos. O primeiro é a queda de um muro num trecho íngreme do único caminho vicinal de acesso, onde passam diariamente dezenas de pessoas, entre elas, turistas no percurso de Esponjeiro da Corda-Ribeira da Torre, e vice-versa. O segundo: as avarias no sistema de bombagem da água para o Planalto Leste e que fazem escassear o precioso líquido para a agricultura de regadio, considerada a base de sustento dos residentes.

Martinho António Rodrigues, um dos moradores da localidade, disse ao ASemana que as duas situações não só estão a preocupar as poucas famílias que ainda residem em Losnã, como também estão a criar condições propícias para o despovoamento da localidade. “Em 2010, viviam na zona dezassete famílias, com um total de 74 pessoas. “Hoje já somos somente sete famílias e nem chega a quarenta pessoas, na sua maioria gente da terceira idade”, exemplifica.

“A nossa base de sobrevivência é proveniente da agricultura de regadio, destacando-se a cultura do inhame. Isso porque na nossa zona se situa uma das maiores nascentes de água do Vale da Ribeira da Torre. Se a água escassear, somos obrigados a abandonar a nossa querida localidade, porque é dela que advêm os nossos rendimentos. Os mercados mais próximos da nossa produção agrícola são as cidades da Ribeira Grande e da Ponta do Sol. Mas, para lá chegarmos, é preciso que o nosso caminho vicinal esteja em condições de segurança”, explica o agricultor.

Segundo Rodrigues, o burro é o principal meio usado pelas gentes dessa zona para transportar a sua produção agrícola de regadio e de sequeiro. Como explica, a comunidade tinha cinco desses animais, mas hoje só restam dois porque três caíram rocha-a-baixo – em mortes causadas pela queda do muro. Para ele, este caso demonstra a dimensão do perigo que espreita também os moradores daquela zona.

Por outro lado, acrescenta, as avarias no sistema de bombagem da água para o Planalto Leste estão a dificultar a vida dos agricultores. “As avarias estão a provocar uma perda considerável da nossa água e a diminuir a capacidade produtiva da agricultura de regadio. Nunca fomos contra essa captação, mas queremos um trabalho técnico bem feito”, critica Rodrigues, relembrando que o inhame precisa de “água suficiente” para crescer.

CMRG: soluções dos problemas a caminho

As soluções para os problemas que afectam os moradores de Losnã já estão a caminho, segundo Orlando Delgado, presidente da Câmara da Ribeira Grande, que explica que o caminho vicinal no percurso Espongeiro de Corda para Lombo de Pico, no Vale da Ribeira da Torre, que passa por Losnã, é dos que mais intervenções já recebeu da autarquia e que isso está visível.

O Edil lamenta a situação vivida por essa comunidade e garante que vai dar atenção aos problemas levantados pelos moradores. “Garanto que brevemente vão receber a visita de uma equipa técnica para avaliar a situação e solucionar o problema”, diz o autarca.

Quanto às avarias no sistema de bombagem da água de consumo para o Planalto Leste, o presidente da CMRG confirmou a existência das mesmas e explicou que são motivadas por erros cometidos não só na captação como também na tubagem que conduz a água dessa localidade para a zona de Morro de Conceição, no Planalto Leste.

“Todo o sistema vai ser reparado de novo, da captação, em Losnã, ao depósito central na zona de Morro de Conceição. O financiamento já foi despachado pela direcção do Millennium Challenge Account (MCA-Cabo Verde II). A empresa vencedora do concurso já está no terreno e as obras devem arrancar brevemente”, garante Orlando Rocha Delgado.

O sistema de bombagem da água de Losnã para Morro da Conceição foi inaugurado a 19 de Junho de 2010. É composto por quatro estações de bombagem, equipadas com uma bomba eléctrica e respectivos acessórios, um depósito de 50 toneladas na zona de captação e outro de armanezamenta no Planalto Leste, com a capacidade de 200 m3. O percurso é de 2 mil e 300 metros de cumprimento, a uma cota de 670 metros de altitude. O projecto custou cerca de 42 mil e 500 contos e foi financiado pelos governos do Luxemburgo e de Cabo Verde.

MN

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau