ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

S.Vicente: Líder do Sokols denuncia indiferença da Câmara às manifestações da população 04 Outubro 2017

«A autarquia manifestou uma profunda indiferença à manifestação de 05 de Julho em S.Vicente, o que foi amargamente sentida pelos munícipes, abandonados pela que deveria ser seu apoiante e timoneira». Esta advertência ao executivo de Augusto Neves foi feita, hoje (03), pelo líder do Movimento Cívico Sokols 2017, Salvador Mascarenhas, durante a sessão da Assembleia Municipal.

S.Vicente: Líder do Sokols denuncia indiferença da Câmara às manifestações da população

Mascarenhas fez questão de realçar que Mindelo é prenhe em momentos de revolta da população contra desmandos dos poderes centrais e locais. « A história da cidade do Mindelo é prenhe de momentos de revolta da população contra desmandos dos poderes centrais, paradigmaticamente ( serve de exemplo) a célebre Revolta do Capitão Ambrósio a 7 de Junho de 1934 e o encerramento abusivo do Liceu Infante Dom Henrique em 26 de Outubro de1937. Em ambos os casos, a Autarquia de S.Vicente esteve sempre do lado dos seus munícipes, como sua legítima representante, enfrentando o poder central corajosamente».

Referindo-se ao presente momento que se vive na ilha, o responsável do Sokols lembrou que, no dia 5 de Julho de 2017, a população de S.Vicente saiu em massa às ruas para exigir a descentralização e mais autonomia, numa manifestação única da sociedade civil na história desta ilha após a independência. «Organizada pela SOKOLS2017, movimento de cidadania independente e apartidário, a sociedade civil sai unida numa só voz e grita um enorme basta contra a discriminação a que esta ilha tem sido votada desde há várias governações em 42 anos de independência. A força de S.Vicente é a sociedade civil!».

Salvador Mascarenhas criticou, no entanto, a postura da actual Câmara de Augusto Neves, suportada pelo MpD, que ignorou a iniciativa. «Perguntamo-nos qual tem sido o papel desta autarquia para estimular uma cidadania activa. A Assembleia e a Câmara Municipal, como representantes do povo de S.Vicente, têm a responsabilidade de concretizar as expectativas manifestadas claramente pela população».

Para o líder do Sokols, o povo exigiu a descentralização e mais autonomia e não responder a estas expectativas é defraudar a população. «Por isso, a autarquia tem o dever de criar condições para a materialização deste sonho do povo de S.Vicente, disponibilizando instalações e apoiando a criação de um gabinete de estudos para sua concretização».

Aviso à Câmara Muncipal

Mascarenhas deixou um avisa à Câmara de Augusto Neves, desafiando que se tal não acontecer poderá ficar moralmente desautorizada a gerir os destinos de S.Vicente. « Se a autarquia não representar a voz da população para a qual foi mandatada, estará moralmente desautorizada a continuar a gerir as nossas vidas», conclui, lembrando que nunca se deve esquecer que o Estado é o servidor do cidadão.

O Sokols 2017 é, segundo o manifesto lançado a 19 de Setembro, um grupo de cidadãos, apartidário, livre e independente. Tem por objectivos intervir ao nível da sociedade civil para sua consciencialização, acção social e política, de modo a ser um regulador e barómetro da nossa democracia e da acção governativa - central e local.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau