SOCIAL

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

SICOTUR indignado com a situação laboral no Sal: Processos pendentes de centenas de milhares de contos nos Tribunais que afectam 164 trabalhadores 12 Janeiro 2018

Preocupado com a situação laboral em Cabo Verde, sobretudo no Sal, o Sindicato da Indústria, Comércio e Turismo (SICOTUR), apresenta à nação a lista dos principais processos de trabalhadores que se encontram pendentes, tanto no Supremo Tribunal da Justiça como no Tribunal da Comarca da ilha. São processos que remontam o ano 2000 e que transitaram do ano transacto para 2018, tendo provocado prejuízos em centenas de milhares de contos e consequências nefastas a pelo menos 164 trabalhadores de várias empresas em atividade, encerradas e falência técnica na ilha do Aeroporto Internacional Amílcar Cabral.

SICOTUR indignado com a situação laboral  no Sal: Processos pendentes de centenas de milhares de contos nos Tribunais que afectam 164 trabalhadores

De acordo com o Presidente do SICOTUR, Mário Correia, trata-se de situações “extremamente” preocupantes, as quais vêm causando prejuízos enormes aos 164 trabalhadores de várias empresas, designadamente Tecnicil Hotels & Resort, Hotel Aeroflot, Hotel Djadsal, SALMAR e CONSTUR.

Para este sindicalista, as demoras excessivas dos processos pendentes têm provocado e continuam a provocar consequências decorrentes, fazendo com que muitos deles perdessem e percam os seus efeitos. “Tudo por causa de empresas que deixaram de existir, outras perderam a capacidade financeira de assumir os prejuízos processuais, trabalhadores que morreram devido a doenças e/ou velhice sem poderem beneficiar dos seus direitos, desgaste para a imagem do Sindicato que representa a classe e do próprio país, descrédito em relação ao sistema judicial cabo-verdiana, entre outras consequências ”, destaca.

Dos trabalhadores em causa, o SICOTUR não deixa de ressaltar os montantes globais das acções e dos acordados e sentenciados, que rondam os 242.949.397 escudos e 108.359.963 escudos, respectivamente.

Diante de tudo isto, Mário Correia diz estar disponível para prosseguir a conversa com os jornalistas dos diversos órgãos de comunicação social deste País. Tudo com o fito de aprofundar este pronunciamento com mais detalhes sobre o assunto e esclarecer os reais contornos destas situações greves do ponto de vista laboral no Sal e em Cabo Verde, em geral.

Celso Lobo

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau