A Semana

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Santiago Norte: Deputados do PAICV consideram programa do Governo para mitigação da seca uma “desorganização total” 23 Fevereiro 2018

Os deputados do PAICV pelo círculo eleitoral de Santiago Norte consideraram hoje,22, a implementação do PEMSSAA uma “desorganização total” a vários níveis, desde a mobilização de água e distribuição de vale cheques para compra de ração.

Santiago Norte: Deputados do PAICV consideram programa do Governo para mitigação da seca uma “desorganização total”

A afirmação é do porta-voz dos deputados eleitos nas listas do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV – oposição), José Maria Veiga, que falava à imprensa após uma visita ao concelho de Santa Catarina.

Os parlamentares do principal partido da oposição estiveram nas localidades de Mato Sanches, Chã de Tanque e Rincão para constar “in loco” a implementação do Programa de Emergência para Mitigação da Seca e Mau Ano Agrícola (PEMSSAA).

José Maria Veiga lembrou que os eleitos nas listas do PAICV “sempre estiveram atentos” desde o início do anúncio do programa de emergência, tendo na altura pedido ao executivo que tomasse todas as medidas para que pessoas tenham rendimentos para não sofrerem.

“O Governo anunciou que já mobilizou mais de um milhão de contos e que tem mais cem mil contos do Orçamento do Estado, montante que consideramos suficiente para enfrentar situação da seca que assola o país”, informou, criticando a forma como se tem gerido o processo da implementação do plano.

É que, segundo a mesma fonte, o PEMSSAA é uma “desorganização total” e a distribuição de vales cheques “um fracasso”, tendo em conta que falta água para a agricultura e para os animais.

No caso de Rincão em que existe um bebedouro onde animais de diferentes localidades vão lá beber, alertou que o mesmo está sem água e que os animais correm o risco de morrer se não for colocada água dentro de três dias.

“Entendemos que aqui, estamos perante uma situação de emergência e que carece de um programa de emergência, de verdade, para que esses problemas sejam resolvidos”, disse, fazendo uma alusão ao problema na compra de ração e água para os animais relatados pelos camponeses.

Nesse sentido, pediu que se mobilize recursos para que mulheres chefes de família possam continuar a educar, tratar da saúde e alimentação dos seus filhos e dos seus animais, para que “todos possam viver condignamente”.

Perante tal situação, José Maria Veiga questionou o facto de o Governo ter mobilizado recursos junto dos parceiros para fazer face ao problema da seca, com ênfase nas pessoas e, na hora de os apoiar vem com o discurso de “assistencialismo”, ou seja, que não pode dar esse dinheiro à população, questionando “onde vai o dinheiro mobilizado”.

“Está-se perante um problema de justiça distributiva de recursos em Cabo Verde que precisa ser visto urgentemente”, notou o deputado.

Por outro lado, os agricultores e criadores de gado da vila de Rincão, presentes no encontro, mostraram o seu “descontentamento” na implementação do plano de mitigação, apontando falta de água para agricultura e animais e dificuldades na aquisição de rações com vales cheques como problemas a serem resolvidos o mais “urgente possível” para que o gado não morra.

Em relação à problemática da água, os criadores de gado e agricultores pediram que a água existente em Selada volte a cair nos bebedouros para que os seus animais possam beber e não padecerem de seca.

Já no concernente à ração, propuseram que a mesma seja vendida nas suas localidades e não em Assomada e que se adopte outras medidas, porque, salientam, “assim como está, quem tem vales cheques não vai conseguir comprar ração”. C/Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau