CORREIO DAS ILHAS

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Santiago: População de Librão dos Engenhos pede luz eléctrica e diz-se “abandonada” pelas autoridades 28 Setembro 2017

Os moradores da localidade de Librão dos Engenhos, da ilha de Santiago, dizem-se “abandonados” pelas autoridades e reclamam o direito à luz eléctrica, rede móvel, telefone fixo e sinal de televisão, tal como usufruem outras comunidades do concelho e de Cabo Verde.

Santiago: População de Librão dos Engenhos pede luz eléctrica e diz-se “abandonada” pelas autoridades

Num desabafo à imprensa citado pela Inforpress, esta quarta-feira, os moradores afirmaram estar “fartos” de promessas que chegam só por altura de campanhas políticas, pelo que decidiram agora chamar a atenção das autoridades para as necessidades imediatas no que concerne à instalação, na sua zona, da luz eléctrica, rede móvel, sinal de televisão e ligação de água ao domicílio.

Segundo os residentes , neste momento constatam uma situação no mínimo “caricata”, porquanto, mesmo com uma nascente de água na sua zona, sofrem de penúria por falta deste líquido.

Além do mais, elencaram como prioridade a energia eléctrica que, conforme sublinham, ajudaria na minimização dos custos, atendendo que à noite funcionam à base de velas, ao preço de 10 escudos por unidade.

Danilson Moreira, um jovem local que considera “grave” a situação da comunidade de Librão dos Engenhos. Disse que, em pleno século XXI, “é caricato” uma localidade dessa não ter luz, rede de móvel, telefone fixo, sinal de televisão e água canalizada.

“Não estamos a criticar ninguém (autarquia e Governo), mas pedimos quem de direito para ver a nossa situação”, disse, ajuntando que já é hora de esses problemas serem solucionados.

Nelson Sanches, outro jovem da mesma localidade fez saber que o problema da localidade é do conhecimento das autoridades competentes, mormente a autarquia santa-catarinense, facto que coloca Librão dos Engenhos em “desvantagem” às outras localidades do concelho.

Segundo a Inforpress, advogou ainda que a falta de energia eléctrica tem prejudicado os estudantes locais. É que, conforme fundamenta, sem a electricidade ficam excluídos da possibilidade de acesso à internet e, por conseguinte, de se informarem sobre as novidades do mundo em todos os aspectos.

No que concerne à falta de água, Moreira explicou que tinham uma nascente na localidade que lhes foi retirada, facto que os tem prejudicado na agricultura e na pecuária e também em casa. Por isso, pede agora a ligação domiciliária.

Lamentou também o facto de recentemente, mais concretamente no dia 23 de Setembro, o PCA da Electra e a equipa camarária terem se deslocado a essa localidade, sem contudo reunir com a população para ouvirem as suas preocupações, pelo que ficaram por saber quando é que vão ter a energia eléctrica.

Na ocasião, o PCA da Electra, Alexandre Monteiro, afirmou que Librão é uma das localidades onde a execução “não será imediata”.

A população de Librão lamentou ainda o facto de concederem entrevistas à rádio, televisão e à agência Inforpress, colocando os seus problemas, e depois não poderem ver a peça editada, refere a agência cabo-verdiana de notícias.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau