CORREIO DAS ILHAS

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Santo Antão: Investimento no sistema de bombagem de água para altitude não funciona em Fontainhas 09 Fevereiro 2015

Um desenquadramento técnico na montagem do sistema de bombagem de água de Boca de Ribeira para a localidade de Charmar, na zona de Fontainhas da Ribeira Grande, Santo Antão -inaugurado pelo Primeiro-ministro em Abril de 2014 - está a indignar os agricultores da zona. A bomba não funciona porque não há tubos no mercado que possam levar a água aos que precisam dela.

Santo Antão: Investimento no sistema de bombagem de água para altitude não funciona em Fontainhas

É que, menos de um ano após a sua inauguração, os agricultores que já tinham instalado o sistema de rega gota-a-gota ainda não viram a água a correr nos seus terrenos. Descontentes, procuraram este diário digital para denunciar a situação, que qualificam de “irresponsabilidade técnica inaceitável”.

Segundo uma fonte contactada pelo asemanaonline, a cerimónia de inauguração do sistema, realizada no dia 13 de Abril de 2014, foi um “teatro” ensaiado pelos dirigentes da Empresa Luís Frazão, em conivência com a equipa de fiscalização e técnicos regionais do MDR, para satisfazer a ansiedade do Primeiro-ministro, que presidiu à cerimónia.

“A bomba foi equipada com um tubo de diâmetro superior à sua potência, para elevar a água a 300 metros de altura. Após o descerramento da placa inaugural, ela foi ligada e começou a bombear água, para alegria de todos. Mais depois de alguns minutos, aconteceu uma explosão e parou. Até esta data, 10 meses após a inauguração, ainda não vimos uma gota dessa água, nos nossos terrenos”, esclarece a fonte.

A bomba não avariou, o tubo é que não aguentou a pressão

Contactado por este diário digital, o Delegado da Região Norte do Ministério de Desenvolvimento Rural (MDR) na ilha das Montanhas, Osvaldo Maurício, confirmou a inoperacionalidade do sistema de bombagem de água para altitude na zona de Fontainhas, desde sua inauguração em 13 de Abril de 2014. E diz que as reivindicações desses agricultores são legítimas.

“A bomba não teve nenhuma avaria, ela está lá em óptimas condições de funcionalidade. O que aconteceu na altura é que o tubo central de elevação da água para o depósito de armazenamento a 300 metros de altura não aguentou a pressão, por não ser o exigido tecnicamente para as bombas, que estão a equipar esses sistemas”, esclarece Osvaldo Maurício.

Segundo o Delegado do MDR na Região Norte de Santo Antão, o que mais preocupa neste momento o Ministério de Desenvolvimento Rural, é que no mercado não existem os tubos exigidos para equipar as bombas desses sistemas. "Os tubos têm que ser encomendados directamente da fábrica, e só os fazem quando há uma quantidade que se justifica. Por isso não posso adiantar ainda uma data para solução do problema”, conclui o nosso interlocutor.

De referir que na altura o Primeiro-ministro, acompanhado pelos ministros do Desenvolvimento Rural (MDR), Eva Ortet, e do Turismo, Indústria e Energia, Humberto Brito, inaugurou três Sistemas de Bombagem de Água para Altitude, na zona Norte de Santo Antao - Ribeira Grande (dois) e Paul (um). O projecto custou 126 mil contos e foi financiado pela Linha de Crédito Portuguesa.

MN

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau