POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

São Filipe: MpD considera que Eugénio Veiga está mais preocupado com a sua reabilitação política do que com a seca 26 Outubro 2017

O Presidente da Comissão Politica Concelhia do MpD em São Filipe, Filipe Santos, reagiu esta quarta-feira, 25, na Cidade da Praia, às acusações feitas pelo ex-Edil Eugénio Veiga (ver este jornal) sobre o mau ano agrícola no concelho. Em declarações à imprensa, Filipe Santos considerou que Veiga está mais preocupado em se reabilitar politicamente por causa das derrotas que sofreu do que com a seca, criticando a sua gestão quando foi presidente da Câmara. Santos surge a quer tranquilizar a população do Fogo, em particular a do concelho de São Filipe face ao impacto da falta da chuva, anunciando o Programa de Emergência local orçado em mais de 80 mil contos para apoiar agricultares e criadores de animais e financiar a abertura de frentes de trabalho no mesmo concelho.

São Filipe: MpD  considera que  Eugénio Veiga está mais preocupado com a sua reabilitação política do que com a seca

O líder do partido no poder em São Filipe e eleito nacional pelo círculo eleitoral do Fogo garante que o Governo de Cabo Verde aprovou, a 05 de Outubro o Programa Nacional de Emergência para mitigação da seca e do mau ano Agrícola 2017/2018, orçado em oitocentos e oitenta mil contos, a ser implementado brevemente.

“O Programa baseia-se em três grandes grupos, nomeadamente no salvamento do gado, na gestão de escassez de água e na criação de emprego para as famílias afectadas pela seca. Aliás, o Governo, a CMSF e a Delegação do Ministério da Agricultura e Ambiente, as Empresas ligadas ao sector e as Associações comunitárias, estão a trabalhar de forma articulada para que este programa tenha sucesso na sua implementação”, anuncia.

Reparação de infra-estruturas de conservação da água (cisternas familiares), reabilitação de reservatórios e espelhos de captação da água, conservação de solos, apoios no transporte de pastos para animais, reparação de caminhos vicinais, fazem parte de um leque de medidas que, segundo Santos, a CMSF e o Governo pensam tomar no sentido de debelar a situação por que passam os sanfilipenses.

“Dizer também, que estas intervenções, custarão aos cofres da CMSF e do Governo, mais de 80 mil contos. Aos agricultores, gostaríamos de informar que já está introduzido no Orçamento do Estado (OE) para 2018, a isenção da taxa aduaneira das empresas ligadas ao sector para a importação de alimentos para os seus animais”, anuncia.

Declarações de Veiga e críticas à sua gestão

Para a Comissão Politica Concelhia do MdP em São Filipe, a preocupação de Eugénio Veiga não é com o mau ano agrícola e nem é com as populações, mas sim com a sua própria cabeça. “Finge-se preocupado para se reabilitar politicamente perante a população que tão maltratou durante 20 anos do seu mandato e que há muito lhe deu as costas”, desabafa.

Diante disso, Filipe Santos acusa os ex-autarcas - Eugénio Veiga e Luís Pires - pela forma como geriram os bens do Município de São Filipe. “O PAICV no Fogo não tem moral para elencar nenhuma medida para o mau ano agrícola, uma vez que o plano deles falharam redondamente no ano da seca em 2014 - época em que os criadores perderem os seus animais, sem que fossem criados postos de trabalho para a sobrevivência das famílias. Portanto, no mínimo, o PAICV, no Fogo, deveria ficar calado pelos menos 41 anos em que deram cabo da ilha e de São Filipe”, recomenda.

O dirigente ventoinha na cidade dos sobrados vai mais longe, assegurando que o PAICV em São Filipe fez uma gestão alegadamente danosa durante a sua governação, «a ponto de pagar 400 mil contos em indemnizações», por perseguição a funcionários da Câmara Municipal. “O PAICV maltratou a população, geriu os bens do município como se fossem bens do seu quintal, e nem inventário do património deixaram. Agora aflitos, armam-se em defensores do povo”, conclui Filipe Santos.

Celso Lobo

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau