POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

São Vicente: Deputados do PAICV dizem que ilha continua parada à espera da concretização das promessas 06 Julho 2017

O porta-voz dos deputados eleitos nas listas do PAICV pelo círculo eleitoral de São Vicente, Manuel Inocêncio Sousa, considerou, hoje (06), que a ilha “continua parada” à espera da concretização das promessas e dos projectos anunciados.

São Vicente: Deputados do PAICV dizem que ilha continua parada à espera da concretização das promessas

Por se tratar da última visita dos deputados ao círculo a anteceder o debate sobre o Estado da Nação, no Parlamento, este mês, Inocêncio Sousa decidiu propor aos jornalistas, em conferência de imprensa, uma análise sobre o “estado da nação” da ilha de São Vicente.

“O nosso balanço não é nada animador, pois a ilha continua parada, seja do ponto de vista económico, social e da administração”, concretizou o deputado, observando que os serviços desconcentrados continuam com “excessiva dependência” do centro, da Cidade da Praia, “como normalmente dizem os chefes de serviço”.

Contudo, avançou a mesma fonte, há neste momento uma situação “muito mais grave” do habitual na ilha que é a “completa paralisação” da rede informática do Estado, que está a “bloquear a administração” em São Vicente, com serviços “sem comunicação com o centro” e os sanvicentinos com a sua vida “em stand-by”.

“A situação é grave e é imperativo que se avance com a desconcentração em direcção aos serviços do Estado em São Vicente e resolver o problema da rede informática”, ajuntou.

O balanço é, pois, precisou, “pobre” do ponto de vista económico, considerou, com operadores à espera, medidas anunciadas pelo Governo que até hoje “não produziram qualquer tipo de feito” na vida do sector empresarial, “não há mais empresas, nem empregos, nem dinâmica”, e continua tudo “no mundo das promessas”.

A manifestação de 05 de Julho, em São Vicente, não passou ao lado dos deputados do PAICV, para quem, di-lo Inocêncio Sousa, o povo saiu à rua e “falou” para “toda a classe política”, deputados, poder local e Governo.

“E não vale a pena o Governo vir nos dizer que o problema não é com eles mas sim com a governação anterior, este discurso não serve, pois quem governa deve assumir as suas responsabilidades e a população de São Vicente ontem falou para quem governa”, sintetizou o deputado, que pede ao Palácio da Várzea para fazer a “devida leitura” do que disseram os mindelenses.

Questionado se não constitui um alento para os sanvicentinos o conjunto de projectos que o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, apresentou semana passada para a ilha, Manuel Inocêncio Sousa desvalorizou, argumentando que a apresentação de projecto na ilha “já acontece ao longo dos anos”, e que é necessário passar da apresentação para a concretização.

“O primeiro-ministro trouxe um conjunto de ideias, agora catalogadas de Zona Económica Especial Marítima de São Vicente, que não são mais do que as ideias que o governo anterior vinha apresentando sob chapéu do cluster do mar”, acusou o deputado, para quem “não há nada de novo”, pois “o essencial” é que os projectos sejam concretizados.

“Não vale a pena continuar a tratar São Vicente desta forma, com promessas e projectos, quando a ilha necessita é de realização para que possa sentir-se como parte do processo de desenvolvimento de Cabo Verde”, concluiu.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau