CORREIO DAS ILHAS

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

São Vicente: Movimento Sokols 2017 pede aos deputados para “não ignorarem” manifestação de 5 de Julho 27 Julho 2017

Os promotores do Movimento Sokols 2017 pediram hoje (27) aos deputados, que esta sexta-feira debatem o Estado da Nação, no Parlamento, para não ignorarem o que aconteceu em São Vicente com a manifestação de 5 de Julho.

São Vicente: Movimento Sokols 2017 pede aos deputados para “não ignorarem” manifestação de 5 de Julho

Em conferência de imprensa, o porta-voz do movimento, Nelson Faria, explicou que a manifestação foi um “acto de cidadania claro e firme” sobre o que a ilha pretende e sobre o que deve ser levado às demais ilhas que estão “a sofrer com a centralização”.

“Seria interessante que os deputados, tanto da situação como da oposição, tivessem consciência das consequências da centralização do país e debater de forma descomplexada a necessidade urgente de descentralizar e que a regionalização seja uma realidade”, sugeriu a mesma fonte, para quem a regionalização não deve ser matéria “apenas para utilizar cirurgicamente” em tempos de eleições.

“Tem que ser debatido descomplexadamente e ser uma realidade pela necessidade das ilhas, não só de São Vicente”, reforçou.

A mesma fonte aproveitou para agradecer a população de São Vicente e de outras ilhas que se manifestaram “espontaneamente” no dia 5 de Julho, no Mindelo, e mostrou-se “orgulhoso” por, ajuntou, pertencer a uma população que “sabe o que quer” e que se manifestou de forma “tão firme e civilizada”.

Nelson Faria considerou, por outro lado, que o Movimento Sokols 2017 está em vias de se formalizar e que irá continuar a acção cívica, a lutar para a consciencialização da população sobre a liberdade de intervenção política, e com as acções sociais, “não necessariamente políticas”, mas “junto das comunidades para apoiar” os cidadãos.
A nível da acção política, a mesma fonte explicou que ela continua no facebook, na plataforma do movimento, e na sociedade sempre que houver necessidade estarão disponíveis para convocar a intervenção da sociedade civil em forma de manifestação ou outras acções.

“Está fora de questão a transformação do movimento em partido político, pois queremos pautar pela neutralidade partidária, pela independência e pela liberdade que nos permite ver a sociedade”, concluiu Nelson Faria.

Na mesma conferência de imprensa, realizada ao ar livre, na Bela Vista, subúrbio do Mindelo, Salvador Mascarenhas, tido como mentor do Sokols 2017, por seu lado, avisou que ao movimento tem chegado “muitas críticas” sobre o poder local sanvicentino e que, por isso, sustentou, “a primeira coisa que deve ser mudada é aqui em nossa casa”.

“Hoje mais do que nunca a força do povo é a nossa força e juntos poderemos começar a sonhar com uma vida melhor para todos, e vamos continuar a nossa acção cívica e a lutar com firmeza para autonomia e por uma cidadania livre, activa e independente”, concluiu Salvador Mascarenhas. Fonte: Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau