CORREIO DAS ILHAS

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

São-vicentinos “impacientes” com demora na realização de ecografias no HBS 07 Maio 2016

Utentes do Hospital Baptista de Sousa reclamam da demora na realização de exames complementares de diagnóstico, com esperas que se prolongam meses após as marcações. A directora clínica deste hospital público, Samila Inocêncio, reconhece dificuldades na resposta aos pedidos, mas justifica este atraso com o facto de o HBS ter apenas um radiologista para atender toda a ilha de São Vicente.

São-vicentinos “impacientes” com demora na realização de ecografias no HBS

Vanísia da Luz foi ao hospital na primeira semana deste mês para marcar dois exames complementares de diagnóstico: uma ecografia e um raixo-x. Mas só poderá fazer a ecografia em Outubro, enquanto o raio-x, ficou marcada para o próximo mês de Agosto. A utente diz que sofre de inflamações nos pés e tonturas e precisa realizar os exames o mais rápido possível para descobrir as causas do seu problema, mas desde o ano passado que está atrás de uma resposta, entre consultas e mais consultas. Antes, em Dezembro, chegou a marcar a ecografia para Abril, porém ficou doente e não pôde deslocar na data prevista ao hospital. Com isso, perdeu a vez. Agora resta-lhe esperar até Outubro para realizar a ecografia.

Maria da Luz, outra utente, teve que esperar cerca de cinco horas na central de consultas do HBS para marcar um exame ao irmão adoentado. Asemanaonline conversou com ela, ao fim de quase três horas depois de ela ter chegado ao local. Nessa altura, apenas metade dos que se encontravam na fila tinham sido atendidos. Neste intervalo de espera, aproveitou para fazer a ecografia, marcada há oito meses. Maria e Vanísia da Luz não têm em comum apenas o sobrenome. São vítimas da demora do HBS nas realização de ecografias.

A directora clínica do HBS, Samila Inocêncio, classifica a situação do hospital de “peculiar”. Diz que existe apenas um radiologista para responder a todas os pedidos dos doentes internos e dos ambulatórios, como também das clínicas privadas e dos centros de saúde. Samila não sabe especificar a média semanal de pedidos de ecografia, mas avança que são muitas solicitações.

Assume que o HBS não consegue dar resposta a tempo aos pedidos de ecografias e raio-x. No entanto, garante que esta unidade hospitalar está a buscar soluções, recorrendo à cooperação entre Cabo Verde e Cuba, que culminará com a chegada, dentro em breve, de um novo radiologista. Explica que a demora na contratação de um especialista nesta área deve-se ao facto de estarem em falta no mercado nacional.

Enquanto isso, prolonga-se por meses a realização de todos os exames de diagnóstico por imagem. Mas não são somente esses serviços que registam atrasos. Os pacientes também estão descontentes com a demora na realização de análises clínicas. A quem não tem recursos suficientes para pagar o serviço em clínicas privadas, só resta assumir a designação de "paciente" e aguardar até ao dia em que chegará a sua vez - mesmo depois da morte como já aconteceu por vezes.

Sidneia Newton

(Estagiária)

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau