POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Segurança continua no Parlamento mas não está nas ruas 23 Fevereiro 2015

A Sessão Parlamentar de Fevereiro arranca esta segunda-feira, 23. No “menú” a segurança (pela quarta vez nesta legislatura). Enquanto o PAICV defende que os investimentos do Governo têm surtido efeito, o MPD alerta que “os cabo-verdianos estão com medo e cada um tem o sentimento que pode ser a próxima vítima”. A segurança (pelo menos em debate) está correntemente na Assembleia Nacional. Falta é chegar às ruas.

Segurança continua no Parlamento mas não está nas ruas

A sessão Parlamentar de Fevereiro arranca nesta segunda-feira com vários diplomas no “menú” mas a segurança (proposta do MPD) será com certeza o “prato” principal da "casa".

O líder parlamentar do PAICV, Felisberto Vieira, lembra que é o quarto debate sobre a segurança que se faz nesta legislatura pelo que diz esperar sentido de Estado, “sobretudo na busca de respostas aos novos desafios e à complexidade dos crimes que têm acontecido em Cabo Verde”. Afiança, por isso, que o foco do PAICV está à procura da cooperação institucional interna e externa para vencer estas ameaças.

Resultados positivos

Felisberto Vieira é da opinião que os sucessivos debates sobre a segurança têm contribuído para melhorar o panorama nacional a nível da segurança. Isto porque, segundo defende, tem havido resultados positivos em consequência das intervenções/investimentos do Governo.

Opinião contrária tem entretanto o líder parlamentar do MPD, Elísio Freire, que mais uma vez acusa o executivo de ter arranjado um bode expiatório para não assumir as suas responsabilidade perante uma situação que considera grave. “Os cabo-verdianos estão com medo e cada um sente que pode ser a próxima vítima”, sustenta a oposição.

Solução Vs Ilusão

Freire lamenta ainda que a Polícia Nacional esteja desarticulada, sem coordenação e de costas voltadas para as necessidades de patrulhamento da comunidade; os Serviços de Informação da República não funcionam convenientemente e a justiça não dá uma resposta eficaz aos anseios da população. Acusa por conseguinte o Governo de estar a inventar soluções que no fundo são ilusões – A desviar o debate com o aumento de penas e a profissionalização das Forças Armadas.

Portanto, o debate que promete "chumbo grosso". Já os cabo-verdianos continuam a aguardar soluções que não sejam grades nas portas e janelas.

Sanny Fonseca

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau