POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Sessão solene da AN: Termos como regionalização, cidadania e democracia dominaram discursos dos partidos políticos 05 Julho 2017

A regionalização, democracia, cidadania, confiança e liberdade, foram algumas das palavras que dominaram hoje os discursos dos representantes dos partidos políticos com representação parlamentar, na sessão solene alusiva ao 05 de Julho, Dia da Independência Nacional.

Sessão solene da AN: Termos como regionalização, cidadania e democracia dominaram discursos dos partidos políticos

Na sua intervenção na cerimónia realizada pela Assembleia Nacional e que teve lugar no Auditório Nacional, Cidade da Praia, a deputada da União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID-oposição), Dora Pires lembrou que nas suas linhas orientadoras, o seu partido propõe “não perder de vista”, os reais interesses e necessidades dos cabo-verdianos.

Neste sentido, considerou que a regionalização do país é “incontornável para o desenvolvimento de ilhas” e que é preciso “aprofundar, de forma séria”, o debate interno sobre todas as questões que se impõem a este respeito, feito entre os partidos políticos e toda a sociedade civil.

“A UCID defende uma regionalização que permita uma discriminação positiva de cada ilha, eliminado as assimetrias, promova um desenvolvimento equilibrado, estimule a competitividade em todos o espaço geográfico nacional”, defendeu, indicando que é preciso “romper” com o centralismo e ter a gestão do dinheiro público feita por entidades governamentais que dê satisfação ao cidadão, de Santo Antão à Brava.
Por sua vez, a líder do grupo parlamentar do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV-oposição), Janira Hopffer Almada, frisou que os 42 anos de independência nacional conferem aos cabo-verdianos um país “sólido”, por tudo que foi construído, resultado da continuidade histórica dos referenciais físicos e geográficos, económicos, culturais, sociais e políticos.

“Fruto do significado maior da independência nacional, temos um Estado estruturado, maduro, consolidado e respeitado, balizando o exercício da cidadania e da democracia. E é assim que vamos assegurando, cada vez mais, as nossas ambições, que vamos reivindicando mais e melhor”, salientou, observando, que é preciso ter presente, também, alguns sinais “preocupantes do novo tempo político governativo” que se vive desde Março de 2016, com a vitória do Movimento para a Democracia (MpD) nas legislativas.

“Estamos face a sinais de amplificação das injustiças, da precariedade e da violência, e com um elevado grau de imprevisibilidade, pelo que apelamos ao Governo que não rompa com a solidariedade que une os compostos da tendência colectiva, que ultrapasse os interesses particulares e que concilie a necessária unidade do poder com a diversidade da realidade social”, exortou, precisando que o futuro terá que ser de desenvolvimento sustentável, com “mais e melhor” democracia, saúde, conhecimento, emprego e qualidade de vida.

Já, na sua intervenção, o líder do grupo parlamentar do MpD, Rui Figueiredo Soares, notou que 42 anos depois da independência, o país enfrenta novos desafios dos quais, sem dúvida, o maior é o do crescimento económico sustentado como meio de proporcionar níveis mais elevados do bem-estar a todos os cabo-verdianos.
“Urge, pois, continuar na senda das reformas necessárias, já encetadas por este Governo, em clima de paz e entendimento social proporcionador de largos entendimentos sobre as questões essenciais para o nosso sucesso”, salientou, acrescentando que a democracia cabo-verdiana já deu provas “sobejas de maturidade”, e que embora, muito jovem, assenta, em dissensos e consensos, em divergência e convergência, em diálogo e cooperação.

Desta forma, precisou que hoje a nação “respira” mais democracia, mais liberdade e mais confiança no futuro do desenvolvimento do país, chamando a atenção, no entanto, que não se pode esquecer que a consolidação da democracia, se afigura, de igual modo, como um desígnio não menos importante para esta e outras novas gerações cabo-verdiana.

O Presidente da República, primeiro-ministro, presidente do Supremo Tribunal de Justiça, presidente do Conselho Superior de Magistratura, procurador-geral da República, membros do Governo, deputados nacionais, presidente do Tribunal de Contas, provedor da Justiça, presidente da Câmara Municipal da Praia, representantes do corpo diplomático, das confissões religiosas, entre outros, marcaram presença nesta sessão solene alusiva ao dia da Independência Nacional. Fonte: Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau