ECONOMIA

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Suspeita de corrupção: Olavo Correia diz que é bom e agradece a investigação do Ministério Público sobre alegado favorecimento a Tecnicil 24 Fevereiro 2018

O ministro das Finanças, Olavo Correia, disse, nesta sexta-feira,23, que “é bom e agradece” a investigação do Ministério Público sobre o alegado favorecimento a Tecnicil Indústria, na sequência do aumento dos direitos de importação para laticínios e sumos de fruta. Um caso que já fez correr muita tinta, tendo a oposição (PAICV), que tinha viabilizado o diploma em causa, solicitado a sua suspensão e revisão, pedindo ao mesmo tempo ao vice-Primeiro Ministro que esclareça, na sede da audição pela Comissão Especializada de Finanças e Orçamento do parlamento, a sua relação com a Tecnicil, onde foi administrador.

Suspeita de corrupção: Olavo Correia diz que é bom e agradece a investigação do Ministério Público sobre alegado favorecimento a Tecnicil

Segundo a Inforpress, a notícia de investigação do Ministério Público foi trazida hoje pelo jornal A Nação, indicando que “a Procuradoria-Geral da República decidiu tirar a limpo se a Tecnicil Indústria beneficiou ou não de tráfico de influência no processo que a levou a lançar no mercado, no inicio deste ano, sua nova linha de procutos lácteos e sumos”.

A mesma fonte adianta que essa investigação poderá desembocar no ministro Olavo Correia, ex-administrador dessa empresa.

Instado a reagir depois de presidir a abertura da reunião do comité de pilotagem conjunto dos projectos do sector do emprego e empregabilidade, financiados pela Cooperação Luxemburguesa, Olavo Correia disse que não tem nada a esconder e que até é bom essa investigação para esclarecer as “calúnias” contra sua pessoa.

“Penso que é bom serem analisadas as questões todas. Vivemos num país democrático. Se há dúvidas é preciso clarificar. Não tenho nada a comentar porque não vi ainda nenhuma comunicação do Ministério Publico”, disse.

“Cabe a quem investigar que investigue e depois ficará tudo esclarecido. Não tenho nada a esconder penso que é normal e é bom que seja clarificado para que toda essa calúnia possa ser esclarecida”, acrescentou.

O também vice-primeiro-ministro reiterou que o aumento dos direitos de importação para laticínios e sumos de fruta foi uma decisão do Governo, apresentada no Parlamento, e aprovada por todos no sentido de proteger a indústria nacional.

“E uma decisão colectiva a nível do Governo, do Parlamento, e querer ligar-me a esta questão em concreto penso que tem a ver com aspectos outros, mas caberá às instâncias competentes dirimir esta questão e clarificar aos cidadãos e fico muito agradecido”, afirmou.

Segundo a Inforpress citando o semanário A Nação, na apuração dos factos várias entidades tantas públicas como as privadas vão ser ouvidas pelo Ministério Público, entre as quais a Câmara de Comércio, Indústria e Serviços de Sotavento de quem partiu a proposta do aumento das taxas aduaneiras.

A medida foi aprovada pelo Parlamento a 13 de Dezembro com votos favoráveis do MpD (partido no poder) e do PAICV e contra da UCID e apenas uma abstenção do deputado do PAICV, Felisberto Vieira.

Mas a oposição (PAICV) veio a público a solicitar a suspensão e revisão do diploma, por considerar que o Governo falseou informações e não respeitou o compromisso de que o preço dos produtos derivados do lei não ia disparar. Em sede da audição junto da Comissão Especializada de Finanças e Orçamento do parlamento, a oposição já solicitou o Vice-Primeiro Ministro que esclareça a sua relação com a Tecnicil, onde foi administrador. Mas a audição não foi ainda anunciada, embora o pedido para o seu agendamento tenha sido remetido, desde o dia 13 de Fevereiro, ao Presidente da Assembleia Nacional, Jorge Santos. C/Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau