SOCIAL

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

TACV: Trabalhadores dizem-se preparados para qualquer decisão sobre o futuro da empresa 29 Julho 2017

Os trabalhadores da Transportadora Aérea de Cabo Verde (TACV) dizem-se preparados para “todo e qualquer” decisão que venha ao encontro com aquilo que está estipulado na lei cabo-verdiana e que salvaguarda todos os direitos dos trabalhadores.

TACV: Trabalhadores dizem-se preparados para qualquer decisão sobre o futuro da empresa

José Pedro Lopes, porta-voz da manifestação feita pelos trabalhadores, na tarde desta sexta-feira,28, na Cidade da Praia, avançou que “apesar da indecisão” sobre o futuro da empresa, os funcionários estão com “força e competência suficientes” para trabalhar e que na TACV não existe política.

O porta-voz alega a “falta de esclarecimento e de transparência” em relação ao processo de reestruturação e privatização da empresa e lamenta que foi enviado uma carta a todas as entidades públicas, órgãos de soberania nacional e altas entidades do país, mas que até ainda não têm tido uma resposta desejada, pelo que aguardam ainda por um posicionamento atempado e educada por parte dessas entidades.

“Queremos mostrar a nossa estranheza e indignação na forma como tem sido feito o processo de reestruturação e privatização da empresa porque os trabalhadores não foram envolvidos em nenhuma fase deste processo. Queremos dar a conhecer esta situação a opinião pública em relação as regalias dos funcionários”, disse José Pedro Lopes.

Em relação aos próximos passos por parte dos trabalhadores, José Pedro Lopes explicou que não há muito a fazer por parte dos trabalhadores, mas que estarão “sempre abertos” e a espera para que o Governo e a administração da TACV tragam em tempo útil todas as informações concernentes ao processo.

Por outro lado, pedem uma resposta o “mais breve possível” sobre o processo porque a partir do dia 31 de Julho a operação doméstica termina, mas continua com os voos regionais de e para Dakar (Senegal) e Bissau (Guiné), pois, segundo a mesma fonte, “há informações” de que a Binter “não está autorizada” a operar esses voos.
A manifestação, com carácter pacífico, teve início às 16:00 com a concentração frente à sede da TACV, no Platô, na Cidade da Praia, percorrendo até a Biblioteca Nacional onde decorreu a Sessão Parlamentar sobre Estado da Nação.
Ali os trabalhadores apelaram para a comparência dos parlamentares, exibindo slogan/frases/cântico “Nhos da kara sima na campanha” (dêem a cara como na campanha eleitoral), o que não aconteceu. Fonte: Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau