NOS KU NOS

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Tranquilo: Cabo Verde é a escolha do actor Paulo Betti para férias 22 Janeiro 2015

O ritmo sossegado de Cabo Verde faz do arquipélago uma das melhores memórias de Paulo Betti, escreve o caderno de viagens do jornal Folha de São Paulo. O actor diz que Cabo Verde possui apenas 500 mil habitantes e a certeza de uma tranquilidade que dura o ano todo. "Como a população é pequena e são ilhas, cada uma com sua particularidade, é um destino para estar sem se preocupar com nada. E isso é muito bom".

Tranquilo: Cabo Verde é a escolha do actor Paulo Betti para férias

O actor, que interpreta Téo Pereira na novela da Globo Império, a passar na televisão portuguesa SIC, esteve em Cabo Verde para participar num curso de cinema e conheceu duas das dez ilhas que compõem o país.

"Eu recomendo que as pessoas visitem. Lá eles falam português e um dialeto próprio. É um lugar muito pacífico, chega a ser raro", conta. Lá também é possível experimentar a rotina com pouca água disponível. “Como são ilhas, as nascentes (de água doce) não são abundantes. Por isso, eles dessalinizam a água do mar para o consumo, o que é muito interessante”.

Mais do que as paisagens inacreditáveis - como as montanhas de Santo Antão que também visitou – Betti diz que impressionante mesmo são as pessoas. "Quem vive lá não tem ansiedade, não há um tempo para fazer as coisas. Você não se preocupa se está atrasado. Isso porque o lugar não é fadado ao progresso. São ilhas que parecem estar fora do ritmo que conhecemos do mundo", recorda.

Diante das altas temperaturas africanas, o clima confortável também deve prevalecer na mala. "Lá é muito quente. Por isso também levei pouca coisa na minha bagagem. Foram calções, camisetas, chinelo, roupas leves e um boné legionário, daquele tipo o do Chaves, que tem uma protecção no pescoço para você não ficar com ele vermelho".

Por não estar nas rotas comerciais turísticas, Cabo Verde propõe um mergulho na cultura local. Sem roteiro de compras, Paulo trouxe apenas alguns discos de música africana: “A música deles é muito boa e você vive aquele universo dos nativos. Não é como quando você vai a Nova York e precisa aproveitar muito a cidade, lá não existe essa obrigação", opina.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau