ECONOMIA

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Um ano depois do furacão Fred: Pontão de Santa Maria ainda aguarda intervenções 09 Agosto 2016

Já se passou um ano desde que o furacão Fred, de passagem por Cabo Verde, destruiu o Pontão de Santa Maria, na ilha do Sal. Na altura, as autoridades governamentais e marítimas prometeram intervenções de fundo e de urgência para recuperar aquele que é o ponto turístico mais visitado do país. Mas até agora nada foi feito.

 Um ano depois do furacão Fred: Pontão de Santa Maria ainda aguarda intervenções

Os salenses estão preocupados com a inoperacionalidade do Pontão de Santa Maria, desde que a infraestrutura turística foi danificada, em Agosto de 2015, pela passagem do Fred por Cabo Verde e ainda mais porque a época de furacões está próxima, como alerta o Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica. O INMG esclarece que não é possível indicar com exactidão uma data específica para o regresso da época de furacões, mas “é normalmente na altura das chuvas que os eventos extremos acontecem e, de acordo com estudos realizados, estes são cada vez mais intensos”.

Por esse motivo, há necessidade de uma maior coordenação entre todas as autoridades envolvidas para estarmos melhor prevenidos e preparados para o que pode acontecer”, informa o porta-voz do INMG.

Contactado pelo jornal A Semana, Gualberto do Rosário, que acaba de renovar o mandato como presidente da Câmara de Turismo de Cabo Verde, afirma que todos os operadores turísticos estão preocupados com a inoperacionalidade do Pontão, mas avança que só lhes resta aguardar a intervenção do Governo.

“No ano passado foram feitas auditorias e o Governo tinha assumido o compromisso de fazer as reparações que se impunham. Nada foi feito até agora e cabe às autoridades pronunciarem-se sobre isso”.

O Pontão é o ponto turístico mais visitado de Cabo Verde, mas a Câmara de Turismo não tem meios de intervenção. «Para além de sensibilizar as autoridades, nada mais conseguimos fazer”, lamenta Gualberto do Rosário.
O presidente da CTCV recorda que não é só o Pontão que foi abandonado. Há cerca de um ano foi também assinado um programa com vista a consolidar os destinos turísticos do Sal e da Boa Vista e “não há um elemento desse programa que foi executado”.

Segundo Gualberto do Rosário, todo o programa assinado pelo Governo, juntamente com a Câmara de Turismo e as câmaras municipais do Sal e da Boa Vista ficou no papel, ou seja, nada foi feito.

“Foram indigitadas as pessoas para a constituição de uma unidade técnica de coordenação desse programa que previa uma melhor gestão da praia de Santa Maria, desenvolvimento urbanístico nas duas ilhas, entre vários outros pontos. Mas depois verificámos que formalmente não houve a criação dessa unidade e não se executou nada. Mas isso escapa-nos completamente. O Governo de então é que poderia esclarecer, mas já é tarde”.

Os operadores turísticos também estão preocupados porque se aproxima a época alta e a praia de Santa Maria está sem o seu ícone maior, que é o Pontão.

O responsável do empreendimento Odjo d’Água, Patone Lobo, foi um dos operadores que, por iniciativa própria, juntaram-se para realizar algumas pequenas intervenções no Pontão, repondo nomeadamente algumas tábuas soltas, logo após a passagem do furacão Fred.

“Quando fizeram a ponte, algumas presas foram colocadas em inox e outras em galvanizado, quando todas deviam ser em inox. Com o tempo e a acção do mar, algumas enferrujaram”. Quando o Pontão “foi posto à prova pelo Fred, já não estava seguro. Tivemos um pilar que caiu, a ponte foi deslocada, portanto, neste momento, toda a estrutura está fragilizada. Se tivermos uma tempestade no mar, é um grande perigo. Santa Maria sem essa ponte é quase uma prisão”.

Patone Lobo relembra que há vários tour-operators e empresários do sector que dependem do Pontão para desenvolverem as suas actividades, tais como os passeios turísticos em barcos com fundo de vidro, a pesca desportiva, o mergulho e as excursões.

“São actividades vitais para o turismo aqui na ilha do Sal e não imaginamos uma época alta sem o Pontão. Já tivemos alguns casos de acidentes em que pessoas caíram e magoaram-se no Pontão. Eu acredito que Santa Maria, pela importância que tem, pelo número de turistas que recebe, merece um projecto mais sério e uma melhor atenção do Governo”, diz aquele empresário.

A nossa reportagem procurou contactar o ministro da Economia e Emprego, José Gonçalves, mas este encontra-se ausente do país em visita à China. Na ilha do Sal, a estrutura local do turismo encontra-se em período de reforma institucional, pelo que não há um delegado do turismo em funções.

Recorda-se que e, em Agosto passado, a tempestade tropical baptizada com o nome de “Fred” atingiu vários pontos do país com ventos que chegaram aos 95 quilómetros por hora. A forte ondulação no mar daí derivada destruiu parte do Pontão de Santa Maria, mas também afectou várias outras infraestruturas turísticas do Sal.

Susana Rendall Rocha

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau