ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Vice-presidente adjunto do Millennium Challenge Coorporation satisfeito com o andamento do projecto 12 Junho 2015

O vice-presidente adjunto do Millennium Challenge Coorporation (MCC) para a área de Implementação dos Compactos, Jonathan Bloom, está em Cabo Verde para uma visita de dois dias. Tem como objectivo principal avaliar o trabalho feito até agora (a meio do percurso) do segundo Compacto do Millennium Challenge Account - Cabo Verde II (MCA-CV II). Visitou os bairros periféricos de Calabaceira e Pensamento na cidade da Praia e diz-se maravilhado com aquilo que viu. “O povo americano ajudou com algum dinheiro mas os cabo-verdianos colaboraram com a execução, incluindo trabalhar nas suas próprias casas”.

Vice-presidente adjunto do Millennium Challenge Coorporation satisfeito com o andamento do projecto

Jonathan Bloom disse logo após visitar “in loco” as obras do segundo Compacto do Millennium Challenge Account - Cabo Verde II (MCA-CV II) na Praia, que a coisa mais marcante desta deslocação a Cabo Verde é ter constatado que graças ao segundo pacote do MCA, uma mulher de 84 anos tem finalmente água na sua torneira – antes tinha que ir buscar ela própria a água ao chafariz, afirmou satisfeito.

Garante que aquilo que viu no terreno (canalizações a serem finalizadas e propriedade a serem mapeadas e registadas) correspondeu às suas expectativas.

Mais qualidade de vida para as mulheres e crianças

Lembrando que são das mulheres e crianças a responsabilidade maior de ir buscar a água, manifestou-se maravilhado porque estas obras vão permitir que as mulheres poupem tempo e dinheiro. As chefes de família vão ter mais disponibilidade para se envolverem no seus negócios e cuidarem das suas famílias. As crianças terão mais tempo para se dedicarem aos estudos. “Estes ganhos são imediatos” congratulou-se, realçando o orgulho no rosto das pessoas com aquilo que foi até agora alcançado e com o facto de se ter conseguido trazer mais dignidade às pessoas daqueles bairros. Em todos os casos as famílias envolveram-se com as obras e fizeram a sua parte “é o modelo ideal”, realçou. “O povo americano ajudou com algum dinheiro mas os cabo-verdianos colaboraram com a execução, incluindo trabalhar nas suas próprias casas” – foi encorajador ver o quão bem está a funcionar o projecto, rematou.

De realçar que os trabalhos do segundo pacote do MCA tiveram um atraso inicial. Coisa que não preocupa Bloom – Outrossim, desdramatizou: “os atrasos são naturais em qualquer projecto grande e ambicioso”. Mais: “se não houvesse atrasos diria que não tentaram o suficiente para fazerem coisas grandes e ambiciosas de modo a conseguir mudanças reais”. “A boa notícia é que os atrasos foram superados”, destacou satisfeito com a nova fase do projecto que contempla obras físicas. Manifestou-se por conseguinte optimista em como as mudanças institucionais e o trabalho físico estejam concluídos no prazo estipulado (mais dois anos e meio).

Encontrou-se com o Primeiro-ministro, José Maria Neves, a meio da manhã. Ao meio-dia desta quinta iniciou as reuniões com as autoridades nacionais para o balanço do meio percurso na implementação do segundo pacote do MCA em Cabo Verde - o primeiro país a conseguir este feito. A visita de trabalho termina hoje.

Notícia relacionada: MCA aprova novo pacote de 4,7 milhões de dólares para projectos de água e saneamento

Sanny Fonseca

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau