OPINIÃO

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Caso Novo Banco:Carta aberta do líder do PP ao deputado Nuías Silva do PAICV 15 Março 2017

A sua infeliz actuação configura a passagem de um certificado de idiotice a todos os cidadãos, jogando areia nos nossos olhos, para ocultar a dura realidade que é a má gestão dos recursos públicos por parte do governo suportado pela maioria parlamentar do PAICV, do qual fazia parte.

Por:Amândio Barbosa Vicente, lider do PP

Caso Novo Banco:Carta aberta do líder do PP ao deputado Nuías Silva do PAICV

Senhor deputado, Nuías Silva, venho, em nome da defesa dos interesses nacionais, chamar-lhe a sua atenção, para que tenha mais bom senso na representação dos eleitorados que votaram o PAICV.

Não tenha dúvida que muitos que votaram o PAICV sentem-se frustrados com a sua actuação, ao defender que a extinção do Novo Banco foi por falta da vontade política do actual governo.

A sua infeliz actuação configura a passagem de um certificado de idiotice a todos os cidadãos, jogando areia nos nossos olhos, para ocultar a dura realidade que é a má gestão dos recursos públicos por parte do governo suportado pela maioria parlamentar do PAICV, do qual fazia parte.

Vamos aos factos:

O Novo Banco fundado em 2010 com um capital social de 300.000.000$00, distribuído pelos accionistas: (Estado de Cabo Verde 5% = 15.000.000$00); (Correios de Cabo Verde 25% = 75.000.000$00); (IFH 25% = 75.000.000$00); (CECV 20% = 60.000.000$00); (INPS 20% = 60.000.000$00); e (Banco Português de Gestão 5% = 15.000.000$00 valor a ser integrado em serviços especializados) COM UM CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO EM QUE UM INTEGRANTE QUE ERA PORTUGUÊS (NADA CONTRA A NACIONALIDADE) GANHAVA MENSALMENTE 1.200.000$00 + SUBSÍDIOS DA VIATURA, COMBUSTÍVEL, TELEFONE, RENDA DE CASA E VIAGENS;

Pode imaginar senhor deputado, Nuias Silva, que com esta estrutura de custo mensal, o Novo Banco teria morte prematura, não aguentaria tamanho peso, pois era um Banco que estava a nascer, ainda frágil, num mercado pequeno e de PIB per capito fraco, logo não teria condições de aguentar. Para esconder a fragilidade financeira do NOVO BANCO, NO RELATORIO&CONTAS DO NOVO BANCO DE 2012, AS CONTAS PATRIMONIAIS FORAM OCULTADAS.

Não aguentou, foi por isso que 2012 foi aumentado o capital social para 600.000.000$00 distribuídos entre os accionistas na mesma proporção da distribuição inicial. Mas um Banco com a estrutura de custo de funcionamento, em que um Administrador ganha 1.200.000$00 por mês acrescidos de outros subsídios, não podia resistir mais. Pela análise do RELATORIO&CONTAS DO NOVO BANCO DE 2014, AS CONTAS PATRIMONIAIS davam indicação de que a situação patrimonial do Novo Banco era já frágil. O capital social de 600.000.000$00 tinha sido consumido pelos resultados transitados negativos de 357.955.846$00 (portanto mais de metade do capital social consumido pelos resultados negativos acumulados) mais ainda o resultado negativo do período (2014) no valor de 147.398.879$00, aproximando da situação da falência técnica.

Ainda assim, não sei, não encontrei os relatórios e contas de 2015 e 2016, mas tudo indica que o capital social do Novo Banco sofreu mais uma injecção do dinheiro público, aumentando o capital social para 849.000.000$00, meter a água num balaio furado – CA CUSTA NHOS;

Portanto, Sr. Deputado Nuias Silva, se o senhor e o seu grupo defendiam na verdade o interesse publico, já em 2014 a situação do Novo Banco ficaria resolvido, declarando o NOVO Banco como inviável, evitando mais perda do dinheiro publico.

Mas, desculpe, Sr. Deputado, esqueci que para o senhor, a disciplina partidária está acima do interesse público, para o qual o senhor foi eleito para defender.

Abraços

Os artigos mais recentes

26 Apr. 2017
OPINIÃO
Dias trumpianos

100% Prático

publicidade






Mediateca
publicidade

Cap-vert

Uhau

Uhau