POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Disputa acirrada da liderança do MpD Porto Novo: Candidato Damião Medina alerta que os solavancos que se vive no partido têm a ver com jogos de interesse de alguns militantes insatisfeitos 18 Abril 2017

O MpD vai a eleições no próximo dia 11 de Junho no Porto Novo de Santo Antão. A disputa é já acirrada com a possibilidade de surgir mais que uma candidatura à liderança local e um deputado municipal a declarar-se independente por se incompatilzar com a actual direcção do partido. O líder concelhio anuncia que vai concorrer a mais um mandato, ao mesmo tempo que alerta que «os solavancos que se vive no MpD Porto Novo têm que ver com jogos de interesse» por «pessoas que não conseguiram alcançar seus intentos políticos nas últimas eleições legislativas e autárquicas». Reagindo às criticas da nova líder do PAICV no Concelho, Damião Medina considera positiva a gestão da Câmara de Aníbal Fonseca e lembrou à Elsa Pinheiro que « o seu partido tem alguma culpa no cartório sobre alguns aspectos que levanta, sobretudo a nível do desemprego no concelho». Para mais detalhes sobre os aspectos referidos, leia a entrevista que se segue, que o responsável local do partido no poder concedeu, em exclusivo, ao Asemaonline.

Disputa acirrada da liderança do MpD Porto Novo: Candidato Damião Medina alerta que os solavancos que se vive no partido têm a ver com jogos de interesse de alguns militantes insatisfeitos

Quando está prevista as directas para a eleição da nova direcção do MpD no Porto Novo?

A eleição para a escolha da APC (Assembleia Política Concelhia) e, consequentemente a eleição do Presidente da CPC (Comissão Política Concelhia) está marcada para o dia 11 de junho.

O figurino eleitoral vai ser diferente?

Sim. Há um figurino diferente do passado, para a eleição dos órgãos concelhios. Conforme o novo Estatuto do MpD, aprovado na última Convenção e o Regulamento Eleitoral aprovados pela CPN (Comissão Política Nacional) do MpD, as candidaturas devem apresentar uma lista com o mínimo de 15 elementos e máximo 35, a ser sufragada pelos militantes, elegendo a APC, sendo o cabeça da lista mais votada, eleito o Presidente da CPC.

Até quando devem ser apresentadas as candidaturas à liderança concelhia?

Conforme o cronograma aprovado pela CPN (Comissão Política Nacional), as candidaturas devem ser entregues entre 26 de abril e 26 de maio próximo.

Além de si, consta que há mais candidatos a disputar o mesmo posto. Pode precisar esses possíveis concorrentes?

Desenha-se mais candidatura. Mas não nos cabe dizer quem será o cabeça de lista dessa possível candidatura. Que os seus promotores digam quem é esse dirigente!

Confirma então que é candidato à sua próxima sucessão?

Confirmamos a nossa candidatura ao cargo de Presidente da CPC.

Apostas e abertura ao diálogo

Porque resolveu candidatar-se a mais um mandato à frente do partido no concelho?

Para continuar a servir MpD e Porto Novo. Nós consideramos um ativo do partido, estamos vivos e com muita energia em nós e, pensámos que mereceremos mais um voto de confiança para continuar a conduzir os destinos do MpD no Porto Novo. Temos muito mais a dar pelo partido. Com muita satisfação, estivemos à frente do partido nos últimos 3 anos, fizemos o possível e o impossível para que o MpD pudesse estar à altura de Porto Novo e sair também, vitorioso nas eleições de 2016. É preciso continuar esta dinâmica.

Desta vez quais serão as principais apostas da sua candidatura?

É nosso propósito consolidar o nosso projeto iniciado desde o início do nosso mandato: 1.Internamente: Vamos continuar a promoção da união, coesão e firmeza do partido; solidificar a organização dos núcleos nas comunidades; consolidação do caderno de militante, com a inscrição de militância na base de dados; colaborar na dinâmica organizativa da JpD e Mulheres Democráticas, apesar de serem associações políticas do MpD com autonomia e legitimidade da eleição de órgãos e seu funcionamento e; não menos importantes, fortalecer as finanças do partido.

2.Externamente: Vamos continuar a defender os reais interesses de Porto Novo, promoção duma governação municipal num clima de estabilidade, tranquilidade e a sustentabilidade política à Câmara Municipal de Porto Novo.

Não há possibilidade de algum entendimento para uma lista única à liderança local do MpD?

Apesar dos apesares, estamos abertos, se tal possibilidade servisse para acalmar duma vez por todas os ânimos quentes no partido ou, se os princípios que norteiam a outra candidatura sejam os mesmos da nossa, que é acima de tudo o MpD e Porto Novo. Abriria de certa forma espaço para a criação de consensos políticos necessários. Pois, não adianta egos, protagonismos e arrogâncias inúteis. O essencial é a promoção da imagem e estabilidade política e institucional do partido, para que ele possa desempenhar cabalmente as suas funções, ao serviço do concelho.

Disputa e estabilidade política na Câmara

Falando da situação política no concelho, há dias tronou público a existência de algum clima de intrigas internas que tende desestabilizar o partido e a Câmara Municipal. Estava afinal a referir o quê?

Podemos dizer que as duas candidaturas têm causado alguma estranheza e desmotivação no seio da militância, na medida em que alegam que o partido saiu vencedor nas últimas eleições e não haveria a necessidade de se criar tanta turbulência interna. E é compreensível! Contudo, nós somos de opinião que os problemas surgem sempre, quando os interesses pessoais são colocados acima do ganho que é comum. Ora, os solavancos que se vive no MpD Porto Novo, tem que ver exatamente com isso. Jogos de interesse. Pessoas que efetivamente não conseguiram alcançar seus intentos políticos, nas últimas eleições legislativas e autárquicas, nomeadamente a sua presença e posição nas listas, surgem inconformados desde a data das eleições. O partido teve os seus critérios na formação das listas e pensamos que não falhamos, pois, as escolhas levaram o partido ao sucesso nos pleitos eleitorais. De realçar que, não somos contra as ambições políticas das pessoas. Pelo contrário, apoiamos, pois, as 3 letras do partido são fictícias. O que dá corpo e alma ao partido é exatamente as aspirações das pessoas. Contudo, dizer que as ambições das pessoas só são correspondidas, se por acaso, estiverem alinhadas com os critérios e propósitos que o partido estabelece!

O anúncio de um dos deputados municipais de querer assumir-se como candidato independente poderá beliscar a sustentabilidade da Câmara de Anibal Fonseca, já que o seu partido ficaria com 8 deputados, igual aos que o PAICV tem. A pergunta que não cala é que a estabilidade política na Câmara poderá ficar ameaçada com isso?

É uma realidade que, um Deputado Municipal do MpD, auto autoproclamou-se independente, infelizmente! Deste modo, o Grupo Político do MpD Porto Novo perdeu a sua maioria na Assembleia Municipal, ficando com 8 eleitos e o PAICV conta também com 8 deputados. Não cremos que isso possa colocar em causa a gestão municipal, na medida em que pensámos que o referido deputado revê na plataforma eleitoral do MpD, que espelha os reais problemas que afeta Porto Novo e sua gente; e deste modo, ele saberá exercer suas funções com patriotismo, espírito de missão e compromisso, independentemente da situação política em que ele se encontra neste momento. Porque em 2020 a prestação de todos será avaliada, em função da atuação de cada um. A equipa camarária tem dado bons sinais no cumprimento dos compromissos assumidos com Porto Novo na nossa campanha eleitoral e, pensa-se que isso é o mais importante.

Consta que o referido deputado terá assumido a referida posição porque não lhe foi dado o cargo de secretário da Assembleia Municipal. O que diz sobre isso?

De facto, é público que a escolha do secretário da mesa da Assembleia Municipal gerou algum mal-estar. Contudo, queríamos dizer que o processo foi orientado, tendo por base o diálogo e essencialmente assente nos princípios da democracia interna. Internamente foi feita previamente uma eleição no seio dos 9 deputados que compõem a bancada municipal do MpD e, a escolha do secretário contou com 8 votos a favor e 1 voto contra, seguramente do citado deputado.

PAICV e culpa no cartório

Como interpreta a eleição da nova líder do PAICV no Porto Novo, que já anunciou que vai assumir uma posição critica em relação à gestão ineficaz da actual Câmara do MpD?

Que não seja criticar só por criticar! Os desafios do município são grandes! Esperemos do PAICV uma oposição patriótica, responsável, construtiva e de valor acrescentado, assim como a sua líder já tornou público. Que as questões que dizem respeito diretamente à vida das pessoas e ao desenvolvimento de Porto Novo sejam apoiadas e salvaguardadas pelo PAICV. Desde logo, queríamos realçar que, da entrevista dada pela atual líder, ela levanta certas questões que são legítimas, mas gostaríamos de lhe lembrar que o seu partido geriu o concelho no mandato camarário anterior e o país nos últimos 15 anos. Assim, o seu partido tem alguma culpa no cartório sobre alguns aspetos que levanta, sobretudo a nível do desemprego. E quando diz que a Câmara tem sido ineficaz perante problemas da população, isto não é verdade! Temos acompanhado as ações da Câmara e tem andado bem. A Câmara, através do seu Presidente e Vereadores, tem feito visitas com frequência às localidades e as respostas tem sido dadas em função das condições financeiras disponíveis, pois, a herança deixada pelo PAICV na CM é pesada. Sobre os estragos acorridos em setembro na sequência das chuvas, asseguramos que obras nas estradas nacionais, bem como as estradas municipais e os caminhos vicinais estão reparados. Somente uma parte em Ribeira das Patas carece de obras, mas em breve iniciarão.

Queremos finalmente dizer que, quando ela fala de despedimentos feitos pela atual Câmara, não constitui verdade! A atual Câmara cumpriu recomendações do Tribunal de Contas, que alegou irregularidades graves em contratos a termo de 3 anos de vigor, celebrados em setembro com trabalhadores que estavam a prestar serviço à CM e que, deveriam cessar as suas funções juntamente com a anterior Presidente da Câmara.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau
publicidade


Newsletter