ECONOMIA

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Taxa de variação homóloga da inflação manteve-se nos 0,3% 16 Junho 2017

A taxa de variação homóloga da inflação registada pelo Índice de Preços no Consumidor (IPC) em Maio foi de 0,3%, valor idêntico ao registado no mês anterior. Já o indicador de inflação subjacente (índice total excluindo energia e produtos alimentares não transformados) registou uma variação homóloga de 0,8%, taxa superior à do mês anterior em 0,1 pontos percentuais. A variação mensal do IPC foi de 0,2% valor superior ao registado no mês anterior, em 0,5 porcento.

Taxa de variação homóloga da inflação manteve-se nos 0,3%

A variação média dos últimos doze meses registou uma taxa de -0,9%, valor superior em 0,1 p.p. à registada no mês anterior.

A taxa de variação homóloga do IPC fixou-se em 0,3% em maio de 2017, valor idêntico em Abril de 2017, reflectindo sobretudo a aceleração dos preços das classes do vestuário e calçado (+4,0%), da Saúde (+3,0%), dos transportes (+2,4%), dos bens e serviços diversos (+2,1%), das bebidas alcoólicas e tabaco e do Ensino (ambas +1,8%), do Lazer, recreação e cultura (+1,6%) e dos acessórios, equipamento doméstico e manutenção corrente da habitação (+1,2%).

Por outro lado, as variações negativas mais relevantes registara aconteceram com as classes dos Hotéis, restaurantes, cafés e similares tiveram uma taxa de (-0,1%), das rendas de habitação, água, electricidade, gás e outros combustíveis (-0,6%) e dos Produtos alimentares e bebidas não alcoólicas (-0,9%).

Subida de preços

As principais subidas de preços registadas pelo IPC foram observadas nos seguintes subgrupos:

- Medicamentos e vacinas
- Outros artigos e acessórios
- Frutos
- Óleos e gorduras (ND)

Descidas de custos

As principais descidas de preços ocorreram nos seguintes subgrupos:

- Outros artigos de uso pessoal N.D
- Manutenção e reparações
- Aparelhos para gravação de som e imagem
- Despesas em restaurantes e cafés

A variação mensal do IPC foi de 0,2% (-0,3% no mês anterior e 0,1% em maio de 2016).

Variação mensal positiva nas ilhas de São Vicente, Santiago e Santo Antão

A nível regional, registaram-se variação mensal positiva em São Vicente e Santiago de 0,3% e 0,1%, respectivamente e, negativa em Santo Antão (-0,1%).

Em São Vicente, as classes dos Produtos alimentares e bebidas não alcoólicas e dos Bens e serviços diversos, contribuíram significativamente para a variação mensal positiva do índice total dessa região. Por outro lado, as classes do Vestuário e calçado e das Bebidas alcoólicas e tabaco, contribuíram com valores negativos mais relevantes para essa variação.

Em Santiago, as contribuições das classes dos Produtos alimentares e bebidas não alcoólicas, da Saúde, do vestuário e calçado, dos Transportes e dos Acessórios, equipamento doméstico e manutenção corrente da habitação, foram determinantes para a variação mensal positiva do índice total dessa região. A contribuição negativa foi registada nas classes dos Bens e serviços diversos, das Rendas de habitação, água, electricidade, gás e outros combustíveis e do vestuário e calçado.

Em Santo Antão, as contribuições relativas às classes das Rendas de habitação, água, electricidade, gás e outros combustíveis, da Saúde, do Lazer, recreação e cultura, dos Transportes, dos Hotéis, restaurantes, cafés e similares e dos Bens e serviços diversos, foram determinantes para a variação mensal negativa do índice total dessa região. As classes dos Acessórios, equipamento doméstico e manutenção corrente da habitação e do Vestuário e calçado contribuíram com valores positivos para essa variação.

Relativamente à variação homóloga, os índices de Santo Antão e de São Vicente foram superiores à média nacional em 0,4 e 0,2 por cento, respectivamente, enquanto em Santiago o valor registado foi idêntico à média nacional (+0,3%).

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau
publicidade


Newsletter