ECONOMIA

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

SANTO ANTÃO: Embargo aos produtos agrícolas termina dentro de dois meses 21 Abril 2010

“O levantamento do embargo dos produtos agrícolas da ilha de Santo Antão está marcado para Julho”, revelou ao asemanaonline o ministro José Maria Veiga, esta terça-feira, no final do segundo dia da sua visita àquela ilha. De acordo com esse governante, tudo caminha a preceito para o fim da quarentena imposta à produção agrícola de Santo Antão, ao cabo de 26 anos em vigor.

SANTO ANTÃO: Embargo aos produtos agrícolas termina dentro de dois meses

“As obras do Centro de Tratamento de Produtos Agrícolas de Santo Antão (CTPA-SA), sedeado na Cidade do Porto Novo, terminam em Maio. A nova lei de quarentena vegetal - que deixa de impor o «embargo» aos produtos agrícolas de Santo Antão devido aos «mil-pés», será promulgada em Junho. A formação dos 30 inspectores para o efeito também termina em Junho. Ou seja, o embargo será levantado, oficialmente, a 5 de Julho de 2010”, disse a este diário digital o ministro do Ambiente, Desenvolvimento Rural e Recursos Marinhos.

De recordar que a referida praga, mais conhecida por “mil-pés”, surgiu em Santo Antão nos finais dos anos setenta, vinda da Europa em plantas de jardim, trazidas por um agricultor local. Com a sua proliferação, e como forma de impedir o seu alastramento às outras ilhas, as autoridades decretaram o embargo aos produtos agrícolas de Santo Antão, através de uma lei de quarentena vegetal em 1984, que perdura até hoje.

Desde então, a agricultura, enquanto principal sector da economia de Santo Antão, entrou em claro declínio, devido à perda de mercado nas outras ilhas. Porém, com a criação de um centro de triagem financiado pelo MCA, que visa a desparasitação dos hortícolas da ilha, bem como medidas de modernização, como gota a gota, diques e outras acções, abre-se uma nova esperança para os agricultores santo-antonenses. Ou seja, ao cabo de 26 anos, faltam apebas dois meses para a produção agrícola de Santo Antão voltar a circular livremente pelas ilhas de Cabo Verde.

MN

publicidade

100% Prático

publicidade






Mediateca
publicidade


Cap-vert

Uhau

Uhau
publicidade












publicidade













Newsletter