Cultura

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

N´Toni Denti D’Oro: a devida vénia 20 Fevereiro 2011

São Domingos fez vénia e aplaudiu de pé a sua maior personalidade cultural viva: N’toni Denti d’Oro. Homenagem justa ao rei do batuco, que mesmo adoentado retribuiu com um show de elevada qualidade.

 N´Toni Denti D’Oro: a devida vénia

Esta história está repleta de ouro: no dente de N’toni, no cálice de vinho que o pároco local bebeu em seu louvor, nas fitas que ornamentaram o palco, na carreira impecável do primeiro indivíduo do sexo masculino a invadir um mundo feminino e sobressair-se como rei. E, claro, um galardão de ouro à cerimónia de homenagem que os filhos de São Domingos, terra natal de N’toni Denti D’Oro, lhe fizeram na noite de ontem, sábado, três dias depois de completar 85 anos de vida.

O palco foi um salão Paroquial apinhado de gente – familiares, amigos, artistas e políticos – que foram aplaudir o Rei do batuco. Abriu a cerimónia a ministra da Cultura, Fernanda Marques, que teceu elogiosos comentários à carreira do artista e ao valor que acrescentou à música tradicional cabo-verdiana.

A festa seguiu com a actuação das batucadeiras de Lagoa (localidade de São Domingos) e subiu ao rubro quando N’toni Denti d’Oro surgiu no palco. Apesar da impossibilidade de se manter de pé e tocar o seu inseparável tambor, Denti d’Oro sentou-se no chão e dirigiu as suas batucadeiras, coordenou as meninas a “da ku tornu”, cantou, deitou-se no chão, rebolou, vibrou. Viveu a sua própria festa de homenagem. E manteve sempre, sempre, o seu brilhante sorriso que lhe é característico.

Acto contínuo: aplausos incessantes e ritmos marcantes da txabeta a conferir um enfeite especial e inesperado ao espectáculo. A debilidade física impediu-o de permanecer no palco por mais tempo. N’Toni Denti d’Oro cedeu, então, lugar ao seu amigo Gil Moreira e as suas batucadeiras. Foi outro grande momento da noite: o encontro de gerações, duas faces da mesma tradição, do mesmo amor pelo batuco.

A festa prosseguiu na casa do artista em São Domingos e foi diminuindo à medida que as pessoas, já extasiadas se dispersavam pelo adiantar da noite. Era essa a homenagem que mais desejava? “Estou feliz. A Presidência e o governo já me homenagearam antes, mas isto sabe melhor por que foi aqui na minha terra, junto com a minha família. Melhor do que isto era impossível”. Palavra do Rei.

HS

publicidade

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





Mediateca
publicidade


Cap-vert

Uhau

Uhau
publicidade











publicidade













Newsletter