NOS KU NOS

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Simão Vieira leva mais três tiros e escapa por um triz à quarta tentativa de assassinato 19 Novembro 2012

Simão Vieira, alegadamente envolvido no bicudo caso de droga apelidado de “Ferro Velho”, levou mais três tiros na tarde do último domingo, nas imediações do antigo Aeroporto da Praia quando assistia a uma demonstração de manobras radicais dos motoboys que utilizam aquele espaço para as suas acobracias sobre duas rodas. Simão escapou com vida a esta quarta tentativa de assassinato, mas fontes deste semanário asseguram que está marcado para morrer.

Simão Vieira leva mais três tiros e escapa por um triz à quarta tentativa de assassinato

Segundo informações colhidas junto de testemunhas, Vieira saía do seu carro quando foi surpreendido por três indivíduos que dispararam à queima-roupa mais de seis tiros de pistolas 7.65 milímetros.

A agilidade de Simão fez com que apenas três tiros o atingissem: um num ombro e dois no abdómen. A vitima foi socorrida e conduzida ao Hospital Agostinho Neto, Praia, onde está internado, ainda com as balas alojadas no corpo.

As fontes deste semanário acreditam que, dado o seu suposto envolvimento no caso “Ferro Velho”, há quem “não durma planeando a morte de Simão”. Verdade ou não, o certo é que em todas estas tentativas, os atiradores nunca foram descobertos.

“São casos complicados, uma vez que mesmo que haja testemunhas oculares, que assistiram à cena do crime, nunca dão a cara com medo de represálias”, explica um especialista no assunto.

Refira-se que Simão Vieira é suspeito de ter desviado parte dos 100 quilos de cocaína roubados por Banda, também morto a tiro na Praia, nas peripécias que envolvem um contentor en que os traficantes que tentavam transportar droga a partir do porto da Praia para a Europa. Na altura, chegou-se a suspeitar que ele, Simão, poderia estar envolvido no assassinato de Banda, mas não há provas que o apontem como autor desse crime.

Os outros envolvidos no caso “Ferro Velho” Ermelindo Silva (Melindo) e Djodje, também morreram, embora de causas distintas. Melindo encontrou a morte por enforcamento na cadeia de Ribeirinha, num aparente suícidio, mas Djodje foi morto a tiro.

Enquanto isso, tudo leva a crer que alguém não quer que Simão fique vivo para contar a história. E esse homem que pratica culturismo e exibe forte compleção física vai jogando a vida na sorte e na fraca pontaria dos atiradores. E mais uma vez convalesce no hospital com várias balas no corpo. Aparentemente não corre perigo de vida.

publicidade

100% Prático

publicidade





Mediateca
publicidade


Cap-vert

Uhau

Uhau
publicidade












publicidade













Newsletter