REGISTOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

’1ª evidência de arte em osso tem 125 mil anos e é chinesa’ — Ocre usado há 164 mil anos suscita interrogações 17 Julho 2019

A comunidade científica congratula-se com a descoberta de ’possível arte abstrata’ gravada em ocre numa placa feita de osso. É que a datação através de carbono-4 revelou o que já é considerado o mais antigo indicador de cognição humana conducente ao desenvolvimento de símbolos, desenhos, arte e linguagem.

’1ª evidência de arte em osso tem 125 mil anos e é  chinesa’ — Ocre usado há 164 mil anos suscita interrogações

A placa gravada em ocre é só um fragmento achado numa escavação arqueológica em Lingjing, na província de Henan, mas, acreditam os estudiosos do sítio chinês, "a sua importância é extraordinária como evidência da evolução humana".

Segundo os arquéologos citados pelo Indian Express, "é o mais antigo exemplar da utilização do ocre". Este, que é um pigmento natural extraído do solo, para fins simbólicos, parece no entanto ter sido já utlizado em África, como o cruzamento intertextual permite deduzir (ver entretítulo, infra).

“Esta descoberta indica que a produção de motivos abstratos, com possível finalidade simbólica, era já parte integral das culturas desenvolvidas pelas populações humanas que viveram na China no tempo do surgimento da nossa espécie, Homo sapiens, em África", disse ao ‘Indian Express’ o académico Luc Doyon, do ’Instituto da Herança Cultural’ instalado na Universidade de Shandong.

Ocre também na anterior ‘1ª evidência’ ou como a ciência sempre está na infância

Há dez anos, relatam os arquivos de arqueologia, a comunidade científica rejubilara com os dois pedaços de ocre gravados com desenhos abstratos como a “mais antiga e inequívoca evidência para a cultura humana”.

A descoberta dera-se no sítio arquelógico da Caverna de Blombos (foto) que, localizado na Reserva Natural Blombosfontein, cerca de 300 km a leste da Cidade do Cabo, contém depósitos da Idade da Pedra, a atestar a presença humana na caverna há uns 164.000 anos, a acreditar na datação por carbono-14. Fontes: Referidas. LS

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau

blogs

publicidade

Newsletter

Abonnement

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project