INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

1º debate Biden-Trump: Do "Cala-te lá, homem!" ao "Caótico" 30 Setembro 2020

Terça-feira, 29, os temas eram os esperados no primeiro dos dois debates da corrida presidencial que foi ganho, embora à tangente, por Joe Biden. A avaliação é da esfera mediática que aponta as 73 vezes em que o republicano cortou a palavra ao democrata — que a dado momento manda Trump calar-se — como um fator que beneficiou Biden.

1º debate Biden-Trump: Do

"Tivemos o melhor resultado da economia em toda a história", clama Trump, audaz e longe da verdade. Biden retrucou que o desemprego atingiu nestes quase quatro anos o nível mais alto dos últimos decénios, e até mesmo antes da pandemia a presidência de Trump "arrasou os bons tratados comerciais que havia".

Sobre a Covid-19, Biden teceu duras críticas a Donald Trump e à sua administração pela tardia resposta à pandemia. O candidato democrata voltou a dizer que o presidente republicano — "teve meses, meses para tomar medidas e falhou" — é responsável pelas mais de duzentas mil mortes e 20 milhões de infeções que tornam a América o país mais flagelado pela pandemia em curso.

Sobre o uso de máscaras anti-Covid, Trump gozou com o rival que "sempre que se olha para ele está com a máscara. Pode estar a mais de 60 metros e aparece com a maior máscara que já vi na vida. Eu só uso máscara quando é preciso".

Biden replica-lhe que as máscaras "fazem a grande diferença". E lembra-lhe o que o próprio chefe da luta anti-Covid na Casa Branca, escolhido por Trump, disse. "O uso de máscara e a distância social podem salvar cem mil vidas até janeiro", repetiu Biden.

Sobre os supremacistas brancos, Trump esquivou-se a condená-los, e chegou até a elogiar um desses grupos, os Proud Boys, que têm feito contra-manifestações em relação ao movimento social BLM-Black Lives Matter (Vidas de Negros Contam).

Sobre a alegada fuga aos impostos — o New York Times demonstrou que só pagou 750 dólares em 2016 — Trump admitiu: "Não quero pagar impostos. Antes de chegar aqui, eu era um investidor privado, que como todo o investidor privado contorna a lei, a não ser os que são estúpidos. Isto é o que é".


1º presidente em mais de 200 anos a alegar fraude eleitoral

Também sem surpresa, Trump voltou a repetir que vai haver uma "fraude sem precedentes" na eleição de novembro, cujos resultados só serão "conhecidos meses depois". Para isso, vai contribuir a votação por correio, sustenta o republicano.

"É o primeiro presidente em toda a história dos Estados Unidos a alegar fraude eleitoral", diz o professor Klass, da Universidade de Sussex, a comentar para a BBC.

Fontes: BBC/DW/. Foto (Getty/AFP): O 1º dos dois debates Trump-Biden. O último será a 22 de outubro.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project