LUSOFONIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

47 anos do ’25 de Abril’ — 4 deputadas ’negras’ após angolana Sinclética do Estado Novo 23 Abril 2021

A primeira portuguesa de origem não-europeia eleita em democracia é a moçambicana Nilza de Sena em 2011, pelo PSD, mas a primeira deputada negra em Portugal foi Sinclética Santos, que representou Angola até 24 de abril de 1974 no Parlamento. A única africana no parlamento republicano (1910-) de Portugal, em 55 anos, representou a ’Colónia’ de Angola ao integrar em 1965 o grupo das quatro primeiras deputadas — sob o fascismo.

47 anos do ’25 de Abril’ — 4 deputadas ’negras’ após angolana Sinclética do Estado Novo

Na última década do Estado Novo, entre 1965 e 1974, a farmacêutica Sinclética Soares Santos Torres (1928-2009) deputada por Angola "notabilizou-se pelas suas intervenções sobre o consumo de drogas em Angola", segundo as fontes históricas — mas que omitem os pronunciamentos sobre temas como a educação.

Nascida na "mesma família de Francisca Van Dunem e de Hélder Vieira Dias (Kopelipa)" em Luanda, onde acabaria os seus dias aos 81 anos, foi a primeira mulher negra deputada em Portugal, quando teve assento na Assembleia Nacional.

Só 37 anos depois da re-instauração da democracia em Portugal, Nilza de Sena, professora de 34 anos, nascida em Moçambique, foi eleita em outubro de 2011 para a 12ª legislatura nas listas do Partido Social Democrata, segundo consta no site da Assembleia da República Portuguesa, a instituição centenária.

A professora universitária goeso-moçambicana, que rompeu o ciclo de cento e um anos ao ser eleita em democracia, voltou a reeleger-se na legislatura seguinte, de 2015 a 2019, mas não concorreu nas últimas legislativas.

Em outubro de 2019 elegeram-se, respetivamente pelo Bloco de Esquerda, Partido Socialista e Livre, mais três deputadas negras: a bióloga Beatriz Gomes Dias, de 48 anos, nascida no Senegal de pais guineenses, a jurista Romualda Fernandes, de 65 anos, nascida na Guiné-Bissau tal como a mais mediática das quatro: a historiadora Joacine Katar Moreira eleita aos 37 anos.

Fontes: Arquivos online da AR.pt. Fotos: Sinclética, Nilza, Romualda, Beatriz e Joacine.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project