OPINIÃO

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

A CORRUPÇÃO INSTITUCIONAL CABO-VERDIANA 31 Dezembro 2017

Já até chegámos ao ponto dos carros da polícia nacional serem utilizados para passear os amigos e namoradas. Isso tudo sem mencionar as Câmaras municipais do país que até já compram carros de ricos para a exibição pessoal do Presidente, além dos carros dos vários departamentos dessas câmaras que são usados para passeios familiares e outras ilegalidades.

Por: Carlos Lopes, M.A.

A Voz do Povo Sofredor

A CORRUPÇÃO INSTITUCIONAL CABO-VERDIANA

Amilcar Cabral uma vez disse para os seus condiscípulos/companheiros:
Se alguém está a pensar que quando tomarmos a nossa terra irá, viver em palacetes, andar em bons carros e ver o nosso povo a sofrer estão totalmente enganados.

Entretanto, o que se verifica em Cabo Verde é precisamente o contrário daquilo que Cabral defendia. Um país como o nosso, que vive de esmolas e arremessas dos emigrantes, com mais de 35%(porcento) da população na pobreza, a viver com menos de 75$00 por dia, não podemos ter governantes, PCA’s e Directores de serviços a passear em carros do topo da Gama internacional e a ganhar salários milionários, com regalias exageradas e inexistentes em países ricos como a Suécia, Dinamarca, USA, França e outros, onde os políticos são reais Servidores Públicos.

Já até chegámos ao ponto dos carros da polícia nacional serem utilizados para passear os amigos e namoradas. Isso tudo sem mencionar as Câmaras municipais do país que até já compram carros de ricos para a exibição pessoal do Presidente, além dos carros dos vários departamentos dessas câmaras que são usados para passeios familiares e outras ilegalidades.

Na cidade de Santa Maria, Ilha do Sal, assiste-se a uma autêntica vergonha e ou conivência descarada dos policiais. Nessa cidade capital do Turismo Nacional os polícias fazem o uso indevido dos veículos, passeando a alta velocidade na rua principal da cidade, quando estiverem a transportar amigas de paródia ou outros assuntos pessoais, como quem está abusando do sistema e do poder da profissão. Alguns desses policiais até já exibem-se desrespeitando a segurança pública, por mero ego pessoal. Enquanto isso, verifica-se que os policiais estão sempre ausentes dos locais mais críticos da cidade e quando aparecem ou estão de carro ou de moto 4, passeando como um qualquer turista ou visitante na cidade. Na avenida, onde se verifica a maior aglomeração de pessoas, durante todas as horas do dia e da noite (24 horas de festejos e vendas ilícitas), apesar da existência de um tráfego descarado de estupefacientes, ou os polícias não estão presentes ou estão presentes mas ignorando os criminosos. Com tudo isso e mais outras actividades ilegais que acontecem diariamente nessa cidade tão pequena nenhum responsável máximo é responsabilizado pela incapacidade de resposta e falta de profissionalismo dos seus pupilos. É inadmissível que os polícias continuem ignorando a venda descarada de estupefacientes, por conivência ou medo dos distribuidores. Os centros de distribuição de estupefacientes nessa cidade capital do turismo nacional estão muito bem identificados por todos (basta ver a postura e o tráfego de jovens nacionais, africanos e europeus que entram em saem desses sítios). É inadmissível que a corporação policial na cidade continue a ignorar essas práticas ilegais e esses locais de venda e ou tráfego ilegais. Está-se diariamente destruindo vidas humanas nessa cidade e o Governo, através do Ministério da tutela, com apoio da Procuradoria Geral da República e a Judiciária, terá que tomar uma posição de tolerância zero com os que não correspondem às exigências das suas profissões ou dão sinais claros de enriquecimento ilícitos, talvez por estarem envolvidos nos esquemas de distribuição de estupefacientes. Pois, se isso tudo está acontecendo é porque os chefes não estão à altura desses cargos.

Sou defensor do bem estar dos polícias mas prefiro uma maior capacitação dos BIC-BAC e a Polícia Judiciária, em detrimento das exageradas exigências desta corporação que carece de profissionais à altura das exigências populacionais. Acho até que já estamos a tempo de criar uma corporação especial de polícias secretos para investigar e punir os polícias corruptos da nossa sociedade. É inconcebível e preocupante que ninguém tenha a coragem de investigar um policial com um salário de apenas 50.000$00 mensal que esteja a exibir um carro pessoal do top da Gama e um prédio que custa mais de 20 mil contos. Por mais que se queira esticar o salário, nunca dará para tanto luxo.

O resto fica para as autoridades competentes trabalharem de acordo com as exigências das suas profissões e cargos.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade
Cap-vert
Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project