Comunidade

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

“A história da nossa emigração para os EUA é a história da Nação cabo-verdiana” – ministro das Comunidades 05 Dezembro 2022

O ministro das Comunidades destacou hoje as relações entre Cabo Verde e os Estados Unidos da América (EUA) ressaltando que a história da emigração dos cabo-verdianos para aquele país é a história da Nação cabo-verdiana.

“A história da nossa emigração para os EUA é a história da Nação cabo-verdiana” – ministro das Comunidades

Jorge Santos falava na manhã de hoje numa sessão solene de recepção de uma delegação dos Estados Unidos da América, integrada por Altas Autoridades da Universidade Estadual Bridgewater State University (BSU) e por representantes do Estado de Massachusetts, que cumpre uma missão oficial em Cabo Verde.

O governante agradeceu e enalteceu a “presença honrosa” da delegação norte-americana, endereçando uma “palavra especial” à BSU, afirmando que a presença do presidente e de “tão importante delegação” académica significa a importância que esta universidade coloca na relação com Cabo Verde.

“São 20 anos de relações [entre a BSU e Cabo Verde], são 20 anos a formar cabo-verdianos também, são 20 anos de investigação e de estudo da nossa comunidade nos Estado Unidos da América, mas também são 20 anos relacionando com o Estado cabo-verdiano no desenvolvimento do ensino superior nas nossas ilhas”, frisou.

A implementação do Centro de Estudos Cabo-verdianos representa, segundo Jorge Santos, a importância que a universidade coloca na sua relação com Cabo Verde.

Jorge Santos destacou ainda que a presença de representantes estaduais de Massachusetts, mas também de outros estados, em Cabo Verde simboliza a amizade e confiança que existe nas relações entre Cabo Verde e Estados Unidos da América.

“É uma relação de mais de 250 anos e é uma relação que dá forma à própria nação cabo-verdiana. A História da nossa emigração para os Estados Unidos é a história da Nação Cabo-verdiana. Por isso a vossa presença é bem-vinda”, disse.

Jorge Santos pediu ainda para não se esquecer aqueles que no passado tiveram papel importante nas relações entre Cabo Verde e Estados Unido da América, bem como políticos americanos, congressistas, senadores federais e estaduais e também académicos que continuam a fazer o “lobby” para a diversificação e a evolução da cooperação entre os Estados Unidos e Cabo Verde e novos moldes.

“Nós temos mais de 700 mil cabo-verdianos da primeira, segunda, terceira e quarta gerações nos Estados Unidos, mais de que os 500 mil que habitam neste preciso momento nas nossas ilhas. Isto espelha a dimensão desta relação entre os Estado Unidos e Cabo Verde”, frisou.

Ainda nas suas declarações, Jorge Santos afirmou que a comunidade cabo-verdiana nos EUA tem tido uma ascensão social muito importante e significativa.

“Isto prova também que a nossa comunidade nos Estados Unidos é uma comunidade de trabalho, de gente que chegou nos Estados Unidos, inseriu na sociedade e, conjuntamente com os americanos, lutaram para a independência dos Estados Unidos, estiveram a par com os americanos na Primeira Guerra Mundial, na Segunda Guerra Mundial, nas Guerra do Vietname, nas guerras mais modernas e continuam fiéis também à cidadania americana e à sua origem cabo-verdiana”, frisou.

A Semana com Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project