DESPORTO

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Treinador Humberto Bettencourt: Onda de assaltos à mão armada no país está a prejudicar os futebolistas nas deslocações aos treinos 04 Dezembro 2019

O treinador da Académica da Praia, Humberto Betterncourt, que é também presidente da Associação dos Treinadores de Cabo Verde, disse que está preocupado com a onda de assaltos à mão armada que está a assombrar o país, com destaque na Capital. Por isso, alerta que é necessário as autoridades policiais colaborarem na segurança dos atletas, porquanto os meliantes, munidos de pistolas e facas, estão a prejudicar os futebolistas com frequentes assaltos em pleno campeonato regional de Santiago Sul, principalmente nas deslocações dos mesmos aos treinos.

 Treinador Humberto Bettencourt: Onda de assaltos à mão armada  no país está a prejudicar os futebolistas nas deslocações aos treinos

Segundo declarou à inforpress, Humberto Betterncourt manifesta o seu descontentamento e sua preocupação sobre a problemática da insegurança, com o argumento de que os jogadores de diversos pontos da Capital, em representação de diversas equipas, estão a ser alvos dos chamados “caçobody”.

Ainda conforme a mesma fonte, Betterncourt precisa que esta situação de assaltos a jogadores, técnicos e demais “staff” de diversos clubes da capital vêm sendo sistemática desde a temporada transacta e que já houve inclusive jogadores que foram deixados praticamente nus pelos assaltantes, que os privaram de todos os seus pertences.

O treinador da Académica da Praia e presidente da Associação dos treinadores de Cabo Verde denuncia também que os atletas estão sendo constantemente ameaçados de morte, quando se deslocam aos treinos de manhãzinha, por assaltantes que apoderam dos seus bens, como telemóveis, botas e chinelas, intimidando -os com armas, como faca e pistolas artesanais. “Esta situação tem provocado choques e efeitos psicológicos nos atletas com quebra de rendimentos nos treinos, e consequente no ritmo competitivo”, acrescentou.

Caso do assalto ao treinador do Benfica e morte do Karateca José Correia

De salientar que esta preocupação é comprovada pelo antigo internacional cabo-verdiano, Dário Furtado, agora a desempenhar o papel de treinador na primeira linha do regional de Santiago Sul, para quem a onda de assaltos a atletas que treinam logo de manhã tem vindo a registar-se com muita frequência.

Neste particular, há antecedentes a se levar em devida consideração, segundo alguns analistas. Estes lembram do caso do arbitro internacional de karaté José Luís Correia, que era agente da Polícia Nacional e foi encontrado morto, no dia 21 de Novembro, perto da sua residência, na cidade de Assomada, cuja causa de falecimento deixou muita dúvida - autópsia revela ser morte natural por hemorragia digestiva alta, mas testemunhas oculares, analistas e amigos da vítima discordam desta versão médica oficial e suspeitam tratar-se de um crime de homicídio.

O país nao esqueceu ainda a trágédia por que passou o futebolista António Simões da Costa, que foi a antiga glória do Benfica, assaltado, na tarde de 30 de Dezembro de 2018, na cidade da Praia, onde pretendia passar o final do ano. Segundo o Presidente da Casa Benfica da Praia, Simões deslocou uma perna e teve que regressar de emergência, no dia seguinte, a Portugal para receber cuidados médicos adequados.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project