OPINIÃO

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

A teologia é necessária 04 Novembro 2018

Não é sem razão que escrevo esta nota: Um advogado sem consciência moral falou-me mentiras durante 12 anos, mas grandes, extraordinárias e inacreditáveis mentiras. Inacreditáveis, quer dizer que não podiam ser consideradas mentiras as suas mentiras. Um Presidente de Câmara, durante cinco anos falou-me três grandes mentiras sobre a construção do miradoiro da Achada Grande Frente. Mentira e omissão são dois grandes pecados, que quem não estudou doutrina cristã, não imagina como tão pesadas elas são.

Por: João da Luz ( Greenwich)

A teologia é necessária

Vivemos num mundo sem luz; assim andamos às topadas. Caímos, levantamo-nos e tornamos a cair e sem fé e esperança perdida, começamos a pensar: Para quê nos levantarmos para tornarmos a cair! Não percamos fé, porque sem ela, a esperança fica mutilada e tudo perdido.

Sim, entendo que a teologia é necessária para que haja Amor, este invólucro, no qual se encontram todas as virtudes: a caridade, paciência, boas obras e daqui, uma boa governação, porque quem não conhece a Lei de Deus, não conhece o caminho e não pode guiar os seus rebanhos no caminho certo.

Vejam! Padre é pai em várias línguas: Père, father, padre, assim: Père Jean, Father John e Padre Juan. É como se, se dissesse: Pai João.

Não estou a querer dizer que um governante devia ser padre; não, porque um padre deve ser chamado a receber o dom e ser consagrado. Assim, ele trata da parte espiritual do homem que é inteligente, que prestará conta ao justo Juiz. Quem não conhece o caminho, a verdade e a luz, não pode andar no caminho certo, sem luz, sem cometer erro que ele próprio não sabe que é erro, e não sabe que tem de prestar conta ao justo Juiz. Um governante que estudasse teologia, estaria consciente dos seus atos, só pecaria porque é pecador. Piores ainda dos que não conhecem o caminho, são os que desconhecem o nosso Criador. Podemos, sem querer, não amar sempre a Deus, embora queiramos sempre amá-lO, ao menos nos nossos próximos. Vejam! Nos dez mandamentos da Lei de Deus, o primeiro manda amar o Criador sobre todas as coisas; e no segundo, amar o teu próximo como a ti mesmo. Como é que um egoista, que naturalmente já o são os governantes, hão de professar este mandamento dificílimo para os candidatos aos santos, quanto mais aqueles que são candidatos ao inferno? Eles preferem que Deus não exista para que nao haja julgamento, e assim, não sejam condenados. Os piores destes malditos, dizem ainda que depois desta vida fica tudo acabado, julgando-nos como os animais irracionais.

Ó criaturas, inconscientes da vida, da verdade e da razão! A vossa consciência fugiu com os animais e vós perdestes o senso. Nào falai mentiras a ninguém e principalmente àqueles que confiam em vós. Não estou querendo condenar-vos, mas sim, aconselhar-vos para que, alterando a conduta, mudeis a rota e chegueis ao destino desejado.

Não é sem razão que escrevo esta nota: Um advogado sem consciência moral falou-me mentiras durante 12 anos, mas grandes, extraordinárias e inacreditáveis mentiras. Inacreditáveis, quer dizer que não podiam ser consideradas mentiras as suas mentiras.

Um Presidente de Câmara, durante cinco anos falou-me três grandes mentiras sobre a construção do miradoiro da Achada Grande Frente.

Mentira e omissão são dois grandes pecados, que quem não estudou doutrina cristã, não imagina como tão pesadas elas são. A Teologia ensina tudo, até rezar pelos nossos inimigos: Senhor! Eu creio,adoro-vos e amo-vos; peço-vos perdão pelos que não crêm, não vos amam e não vos esperam.

Roterdão, 1 de Novembro 2018

( É dia de todos os Santos, que nos livrem de todos os Demónios. Amem|)

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade



Mediateca
Cap-vert

blogs

Newsletter

Abonnement

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project