POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

AN: MpD destaca aposta na política externa implementada pelo Governo com resultados visíveis 26 Janeiro 2021

A líder da bancada parlamentar do Movimento para a Democracia (MpD, poder), Joana Rosa, destacou hoje a aposta feita pelo Governo na política externa, apontando “ganhos visíveis” reconhecidos por toda a comunidade internacional.

AN: MpD destaca aposta na política externa implementada pelo Governo com resultados visíveis

Joana Rosa fez esta intervenção à imprensa, à margem das jornadas parlamentares do partido, com vista à sessão da Assembleia Nacional, que terá como ponto alto o debate com o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva.

Segundo a Inforpress, apontou, que o País tem merecido respeito pela comunidade internacional, com boa classificação em termos de índice de democracia de boa governação em África, bem classificada sobre a liberdade política e situada na melhor posição possível da liberdade de imprensa.

“Cabo Verde é um país pobre, mas respeitado no mundo, devido à postura deste Governo e da política coerente que tem implementado a nível das relações externas do país”, afiançou.

De acordo com a deputada, a diplomacia com o Governo do MpD sempre esteve no “top”, tanto na construção de boas relações, quanto no reforço de parcerias, na integração africana e no estreitar de relações diplomáticas e comerciais com o mundo.

“A política externa deve ser medida pelos resultados e eles dizem que há boas relações entre Cabo Verde e o mundo, com o continente africano o país tem intensificado as relações, o país preside a CPLP, portanto ganhos que mostram como a diplomacia tem funcionado”.

Revela ainda a Infforpress que Joana Rosa indicou que a nível de relação com a África, há resultados práticos, não só com a instalação de embaixadas, mas também a participação activa de Cabo Verde como mediador de vários conflitos a nível da União Africana.

Quanto às críticas apontadas pelo Partido Africano da Independência de Cabo Verde, no sentido de ter havido falhas na nomeação de cônsules com ligações à extrema direita, Joana Rosa explicou que não houve e não se viu ninguém a nível internacional a posicionar ou a criticar esta questão.

“O PAICV está com problemas de colocar na agenda outros assuntos, vem introduzir esses ruídos à volta da nomeação”, assinalou.

Por outro lado, a líder parlamentar do MpD atestou que Cabo Verde não conseguiu a presidência da CEDEAO devido às dívidas que o Governo do PAICV deixou acumular ao longo dos anos, e o País não estava em condições de saldar de pronto essas dívidas, conclui a fonte deste jornal.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project