NOS KU NOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Dossier evacuações: Acordo entre Cabo Verde e grupo português prevê troca de aviões 07 Julho 2018

O acordo entre o Governo de Cabo Verde e o grupo português Sevenair prevê a troca do Dornier da Guarda Costeira cabo-verdiana por dois Casa C212 Aviocar, devendo os aviões ser ainda intervencionados antes de começarem a operar.

Dossier evacuações: Acordo entre Cabo Verde e grupo português prevê troca de aviões

O memorando de entendimento foi assinado, em Lisboa, pelo embaixador de Cabo Verde, Eurico Monteiro, e pelo diretor da Sevenair, Alexandre Alves, devendo o contrato ser rubricado em Cabo Verde até final deste mês.

Além da troca de aviões para responder à necessidade de transporte de doentes entre ilhas, o acordo, a que a agência Lusa teve acesso, prevê também o aluguer de um avião Jetstream 32, com tripulação, e a prestação de serviços de formação de pilotos e técnicos, bem como de manutenção para as aeronaves Casa C212 Aviocar, que deverão chegar a Cabo Verde até final do ano.

O documento foi assinado na mesma semana em que o Estado cabo-verdiano, através do Instituto Nacional de Previdência Social (INPS) e da Força Armadas, rubricou, na cidade da Praia, um memorando com duas seguradoras para o transporte de doentes entre as ilhas do arquipélago.

Em declarações à agência Lusa, Alexandre Alves explicou que os dois memorandos estão relacionados, mas são distintos, adiantando que o acordo assinado com as seguradoras tem como objetivo apoiar o financiamento da operação.

"O âmbito do memorando assinado com o grupo Sevenair é um pouco mais vasto, pois para além do transporte de passageiros em situações de emergência médica, contempla […] a possibilidade de transporte de carga e de passageiros entre ilhas. Adicionalmente, contempla a utilização de aeronaves para o serviço específico da missão atribuída à Guarda Costeira", disse.

Segundo Alexandre Alves, no âmbito da troca do Dornier 228 da Guarda Costeira de Cabo Verde pelos dois Casa C212 Aviocar, será feita "uma avaliação às aeronaves por uma entidade independente que irá aferir o valor efetivo de cada uma".

"O Dornier 228 servirá para liquidar parte desse valor e deverá, depois de efetuar algumas modificações, integrar a frota civil da Sevenair, que conta já com outros três aviões do mesmo tipo", disse.

Alexandre Alves admitiu que a transação poderá envolver uma verba adicional, cujo montante resultará da referida avaliação.

Alexandre Alves adiantou que os dois aviões Casa C212 Aviocar integram um lote de seis comprados pelo grupo Sevenair em concurso internacional lançado pela Força Aérea Portuguesa (FAP).

"Os aviões carecem de ser intervencionados antes de poderem entrar em operação, daí a data de entrada dos mesmos ser próxima do final do ano. Os trabalhos deverão iniciar rapidamente, bem como a formação dos pilotos e técnicos de manutenção da Guarda Costeira, que irão assegurar a manutenção das aeronaves com a supervisão e apoio da divisão de manutenção do grupo Sevenair", adiantou.

Até à chegada dos aviões, o transporte de doentes será assegurado pelo Jetstream 32 mediante um contrato de prestação de serviços.

Questionado pela agência Lusa sobre o valor do contrato a rubricar com o Governo cabo-verdiano, Alexandre Alves invocou "motivos de confidencialidade" para não divulgar os números.

"Trata-se de um contrato celebrado a valores de mercado, sendo que neste âmbito o grupo Sevenair é muito competitivo não só em termos dos custos como da qualidade dos serviços que presta", assegurou.

Cabo Verde tem registado ao longo dos anos dificuldades no transporte de doentes entre ilhas, uma responsabilidade que já foi da Guarda Costeira, tendo posteriormente sido assegurada pela companhia aérea pública TACV.

Com a saída da TACV, em agosto de 2017, do mercado interno, o transporte de doentes não foi assegurado com a Binter Cabo Verde, empresa que passou a fazer os voos entre as ilhas.

Apesar de a empresa fazer transportes de doentes, nos últimos meses alegadas recusas levaram a que pelo menos três pessoas - duas grávidas e um jovem baleado - tenham sido transportadas de barco entre as ilhas da Boavista e do Sal.

Uma das grávidas perdeu o bebé e a outra acabaria por morrer já no hospital do Sal depois de ter feito a travessia, casos que geraram indignação da população cabo-verdiana, que exige respostas do Governo. Fonte: Lusa; Foto: um dos aviões Dornier da Guarda Costeira Cabo-verdiana.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade
Cap-vert
Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project