MÚSICA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Adê – artista maiense - lança seu novo álbum “Hello Cabo Verde” 03 Novembro 2021

O músico maiense, Adê, lança o seu novo álbum intitulado “Hello Cabo Verde”, que traz canções que valorizam a cultura e a identidade crioula de maneira original e inédita e busca resgatar a tradição e a cultura crioulas, com uma sonoridade moderna e atual.

Adê – artista maiense - lança seu novo álbum “Hello Cabo Verde”

O álbum traz dez faixas que traduzem a música tradicional cabo-verdiana “mesclada” com um estilo contemporâneo, com forte presença da música afro-brasileira e da África Continental. Além disso, o projeto conta com a participação de importantes nomes, como os artistas cabo-verdianos Tibau Tavares e Jenifer Solidade e do sanfoneiro brasileiro Mestrinho, segundo uma nota enviada a este diário digital.

“A música tem a capacidade de abrir fronteiras. Do meu primeiro álbum para o segundo, finalmente compreendi que eu poderia, desde a minha perspetiva artística, levar a cultura cabo-verdiana e, especialmente, o nome da Ilha do Maio para o resto do mundo, transmitindo toda nossa simplicidade, nossa alegria e nossa hospitalidade. Somos um lugar muito pequeno em território, mas com uma grandeza cultural e identitária que precisa e merece ser reconhecida”, afirma Adê, em comunicado.

Vale ressaltar que a vivência do artista maiense na Europa há tantos anos fez com que ele desenvolvesse a capacidade de “mesclar estilos e influências”, resultando em músicas originais e híbridas. Nessa nova fase, Adê aprimora o seu lado compositor, explora a sua veia produtora e também conta com o trabalho de músicos experientes e de renome, como o do caboverdiano Toy Vieira, do brasileiro Jurandir Santana e dos espanhóis Pau Figueres e Andrea Motis.

O novo álbum conta com as algumas faixas, nomeadamente as coladeiras modernas “Hello Cabo Verde” e “Resposta di Kriola”, com a morna “Sol di Penose”, com os batuques/finassons “Fazê gat” e “Txeru pitada”, com a tabanka “Tabanka Santa Cruz”, com a balada “So mi ku bó” e com fusões de estilo que resultaram nas canções “Karabiloke”, “Áfrika” e “Gosi kuza e asi”.

Ainda segundo o artista, o álbum já se encvontra disponível nas principais plataformas digitais. “Está no ar o videoclipe de “Txeru Pitada”, juntamente com o álbum “Hello Cabo Verde”. Adê também acaba de lançar o videoclipe da música “Txeru Pitada”.

Com a composição do conceituado Tibau Tavares, a canção trata-se de um batuque moderno e conta a história de um costume local e rural bastante conhecido, que é o dos idosos que cheiram a folha de tabaco seca e triturada. Por fazerem isso todos os dias, o hábito acaba virando um vício. O videoclipe foi gravado na Ilha do Maio, Cabo Verde, lugar de nascimento de Adê e tem uma paisagem surpreendente.

Percurso do artista

Nascido na Ilha de Maio, Adê tem 33 anos, vive na Espanha há 14 anos e está lançando o seu novo projeto musical intitulado “Hello Cabo Verde”, em que busca resgatar a tradição e a cultura crioula com uma sonoridade moderna e atual.

É um músico e compositor cabo-verdiano que se apresenta no mercado artístico com uma fusão de sonoridades que circulam entre a África, a América Latina e a Europa Ocidental. Cresceu, escutando artistas nacionais como Cesária Évora, Ildo Lobo, Tcheka, Mayra Andrade e Sara Tavares, mas foram as canções do cantor brasileiro Djavan, que despertaram em Adê o interesse em fazer música.

Segundo a fonte deste jornal, aos 12 anos, Adê aprendeu a tocar violão e, junto com um grupo de amigos, criou uma banda que apresentava músicas tradicionais e contemporâneas em eventos culturais da sua ilha onde nasceu. Em 2007, mudou-se para a Espanha, onde cursou Farmácia na Universidad de La Laguna (Tenerife). Lá, formou um grupo urbano que tocava frequentemente nos eventos universitários. Depois da separação da banda, em 2010, afastou-se da música e passou por um profundo período de reflexão. Foi justamente nesse momento que começou a desenvolver o seu lado compositor e a reconhecer o seu estilo na música.

No ano de 2017, Adê decidiu iniciar a sua trajetória profissional e solista na música quando lançou o seu primeiro álbum, intitulado “Branku na Pretu” (produzido por Román Brito), que foi nomeado ao “Prêmio Canários de la Música de 2018” como melhor álbum tradicional. É um projeto bastante intimista, repleto de composições sobre as suas vivências e emoções. Através desse trabalho, foi um dos dez artistas selecionados para o projeto pedagógico-musical Barrios Orquestados 2018 (em Canárias), participou do Fimucité – Festival Internacional de Cine e Música 2018 e do AME 2017 Festival (em Praia, Cabo Verde).

Adê constrói a sua própria identidade musical fazendo um cruzamento entre a música cabo-verdiana (expressada na morna, no batuku, na coladeira e no funaná) e outras sonoridades do Atlântico, tendo como uma das principais referências as produções afro-brasileiras e afro-continentais. Em 2019, mudou-se para Barcelona a fim de amadurecer o seu novo projeto “Hello Cabo Verde”. O álbum conta com importantes participações e se destaca pela veia produtora explorada pelo próprio Adê, refere a fonte que vimos citando.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project